Independência dos EUA: A história no Independence National Historical Park em Philadelphia

Panorâmica da sala onde a declaração de independencia dos EUA e a Constituição foram criadas

O Independence Hall em Philadelphia é o principal marco histórico da independência dos EUA. Afinal de contas foi alí que tanto a declaração de independência quanto a constituição americana foram debatidas, redigidas e assinadas pelos representantes das 13 colônias que fundaram os EUA.

Independence Hall em Philadelphia visto da Independence Square

Além disso, o local funcionou como a sede “provisória” do governo americano por diversas ocasiões entre o primeiro congresso continental da Philadelphia (1774) até a mudança definitiva da capital para Washington DC em 1800.

Torre do Independence Hall em Philadelphia

Considerado um lugar sagrado para os americanos e sua democracia, o local foi transformado em parque histórico nacional em 1948 e tombado como patrimônio mundial da humanidade pela UNESCO em 1979.

Independence Hall patrimonio Mundial da Humanidade

Atraindo anualmente cerca de 4 milhões de visitantes, o Independence National Historical Park é uma das mais visitadas e concorridas atrações turísticas de Philadelphia (especialmente nos meses de verão).

Parque Histórico Nacional da Independência em Philadelphia

Bem se você curte história americana, você pode facilmente passar o dia inteiro explorando algumas das mais de 25 atrações que compõe o parque histórico nacional da independência. Atrações como o Carpenter’s Hall, Independence Hall, Constitution Center, o Liberty Bell Center, o primeiro e segundo banco dos EUA são apenas algumas das construções que encontramos nos limites do parque histórico da independência e que de forma direta ou indireta participaram do processo de emancipação política e formação dos EUA .

Liberty Bell e o Independence Hall em Philadelphia

Dentre todas as atrações “visitáveis”, as mais concorridas são o Liberty Bell Center (local onde encontra-se o sino trincado da liberdade) e o tour guiado pelo interior do Independence Hall. Porém, para visitar este último, é necessário antes de tudo, se dirigir ao Independence Hall Visitor Center e pegar um ingresso com hora marcada para um dos tours oferecidos gratuitamente ao longo do dia.

Independence Visitor Center, local onde você pega os ingressos para o tour pelo Independence Hall

Dependendo do dia, se você chegar tarde de mais, os ingressos podem estar ocasionalmente esgotados. Então a dica é, quando for visitar Philadelphia, a primeira atração a ser visitada é o Visitor Center do Independence National Historical Park. Lá, além de uma introdução geral a independência, você pega o ingresso para visitação do Independence Hall. Com o ingresso em mãos você pode então se programar para visitar a cidade.

Entrada do Independence Visitor Center

Depois disso, basta se apresentar na entrada localizada a esquerda do Independence Hall para os procedimentos de segurança cerca de 15 minutos antes do horário marcado para o início do seu tour. Um ranger no National Park Service coletará os tickets e será seu guia pelo interior do Independence Hall.

Ranger no tour pelo interior do Independence Hall

Antes de entrar no edifício, todo o grupo de aproximadamente 50 pessoas é levado para uma salinha climatizada, onde o Ranger fala um pouco sobre a história e os acontecimentos ocorridos no final do século XVIII e que foram fundamentais para a criação dos EUA.

Suprema Corte da Comomwealth da Pennsylvania no Independence Hall – Antes de 1776 o brasão britânico

Bem como de praxe aqui no Blog, divido com vocês de forma resumida um pouco daquilo que aprendi durante as 3 visitas que já fiz ao local :D

Justiça no Independence Hall em Philadelphia

Pois bem, antes da declaração da Independência em 4 de Julho de 1776, os EUA era formado por treze colônias que apesar de diferirem bastante sócio-politicamente entre si, tinham um ponto em comum: a fidelidade à coroa britânica.

Mapa antigo no Independence Hall

Naquela época as chamadas colônias do norte, compreendidas pelas colônias da região que se extende desde a Pennsylvania até a Nova Inglaterra, tinham como principais características, o uso de mão-de-obra livre, economia baseada no comércio, pequenas propriedades rurais e produção voltada para o consumo do mercado interno.

Segundo andar do Independence Hall em Philadelphia

Além disso, essas colônias, especialmente Pennsylvania (Quakers & Amish) e Massachussetts (Puritanos), eram carcaterizadas por colonizadores protestantes, geralmente de origem inglesa, que se instalaram na região fugindo das perseguições políticas e religiosas que encontravam na europa.

Segundo andar do Independence Hall

Já as colônias sulistas, colônias como a Virginia, Carolina do Norte e do Sul e Geórgia, eram praticamente o oposto disso. Baseadas num modelo com grande propriedades rurais que usavam e abusavam de mão-de-obra escrava, sua produção era praticamente totalmente  voltada para a exportação.

Independence Hall Philadelphia

Apesar das diferenças, todos viviam “contentes e felizes” até o rei e o parlamento inglês aprovar uma série de medidas que colocaria a fidelidade dos colonos à pátria mãe a toda prova. Medidas como a criação de uma série de impostos (Lei do Chá, Lei do Açúcar, Lei do Selo e afins), sobretaxavam estas colônias a fim de levantar dinheiro para sanar as contas públicas destruídas com os desdobramentos da Guerra dos Sete Anos entre França, Inglaterra e seus respectivos aliados (1756-1763). Nesta guerra os ingleses e seus aliados saíram vitoriosos, porém encalacrados de dívidas.

Independence Hall

Até então, as 13 colônias pagavam seus impostos e defendiam os interesses britânicos na região sem grandes reclamações e presumiam possuir praticamente os mesmos direitos e privilégios que todos os súditos da coroa inglesa. Mas com o tempo e a distância, a definição de liberdade e representatividade acabou-se tornando diferente nos dois lados do Atlâtico.

Sala jantar no Independence Hall

E assim, no ano de 1774, descontentes com as ações de Londres em relação a suas colônias, acontece o primeiro congresso continental da Philadelphia. Reunindo representantes das colônias do norte no Carpenter’s Hall, o primeiro congresso continental dos EUA não tinha caráter separatista, apenas reinvidicatório e visava criar um lobby pelo fim das medidas restritivas de comércio com outras nações e o afrouxamento das taxas impostas por Londres.

Escadaria no interior do Independence Hall

Além disso, demandava também um lugar na câmara dos lordes o que conferiria às colônias americanas uma maior participação na vida política do império britânico e ainda defenderia os interesses das colônias junto ao parlamento inglês em Londres.

Armas no Independence Hall

Porém, o então rei britânico George III não aceitou as propostas, e muito pelo contrário, juntamente com o parlamento, adotou um pacote de medidas ainda mais restritivas e controladoras em relação a suas colônias. Como é o caso das chamadas Leis Intoleráveis, que entre outras coisas, previa a lei do aquartelamento na qual todo colono norte-americano seria obrigado por lei, a fornecer moradia, alimento e transporte para os soldados ingleses em sua colônia. As Leis Intoleráveis geraram muita revolta nas colônias (norte e sul), influenciando diretamente no processo de independência dos EUA.

Encenação da revoluçao Americana no Independence Hall

 E apesar dos esforços de indivíduos em ambos os lados, empenhados em resolver o conflito de interesses de forma pacífica, a revolta tornou-se violenta em Abril de 1775, com as batalhas de Lexington e Concord em Massachusetts.

Senhora vestida à carater como no final do século XVIII

Revoltados com a forma que eram tratados pelos britânicos, em Maio de 1775, o segundo Congresso Continental reuniu-se em Philadelphia. Desta vez no Independence Hall, na época sede da Commonwealth da  Pennsylvania.

Torre Independence Hall

Como resposta à crise, pela primeira vez na história, os colonos americanos adotoriam medidas para governar e “proteger” suas respectivas colônias como parte de um país independente. Nesta época o ideais iluministas de liberdade, fraternidade e igualdade estavam super em voga, e a idéia de declarar independência logo ganhou força entre os delegados da convenção.

Sino da liberdade em Philadelphia – Antigamente ficava na torre do Independence Hall

E assim, na primavera de 1776 um comitê presidido por Thomas Jefferson foi encarregado em redigir a declaração de independência dos EUA. Documento este que foi debatido e aprovado pelos delegados das 13 colônias e apresentado ao povo em 4 de Julho de 1776.

Relógio no Independence Hall

Os delegados do segundo congresso continental de Philadelphia compreendiam claramente os riscos associados com a declaração de sua autonomia em relação ao poderoso império britânico. Este obviamente não aceitou o documento e, desta forma, estava declarada a guerra da revolução americana que se extenderia até 1783 quando o Tratado de Paris concederia formalmente a independência e liberdade ao recém criado Estados Unidos da América.

Independence Hall em Philadelphia

Neste interim, durante a revolução americana, os britânicos ganhariam a batalha do Brandywine. Tomariam Philadelphia, obrigando o general George Washington e seu exército a recuar para a região do Valey Forge. A capital seria então transferida para Baltimore, Lancaster e York, até que as tropas de Washington retomassem o controle de Philadelphia no ano seguinte.

General Washington no Independence Hall

Vencida a guerra contra os britânicos e assinado o acordo de paz, a questão então passou a ser: como governar esta nova e gigantesca nação?! Na época, muitos eram céticos que os ideais revolucionários resistiriam à realidade de paz trazida com o tratado de Paris.

Panorâmica da sala onde a declaração de independencia dos EUA e a Constituição foram criadas

No entanto 4 anos mais tarde, em 1787, mais uma vez no Independence Hall em Philadelphia, a Convenção Federal reuninira representantes das ex treze colônias que juntas esboçariam um dos mais importantes documentos da história americana, a Constituição dos EUA.

Congresso Federal de 1787 em Philadelphia no Independence Hall

Liderados por George Washington, os delegados discutiram e fariam concessões durante todo o verão 1787 até ser finalmente aprovada. Por sinal, como bem lembrou um dos Rangers numa das vezes que fiz este tour, naquela época não existia ar condicionado e dizem que naquele ano o calor foi insuportável. (Philadelphia pode ser muito quente no verão). Agora imagino todo  mundo usando aquelas roupas que eles usavam na época.

Independence Hall – a declaração de independência e a cosntituição nasceram aqui

Bem, o resultado de tanto trabalho e meses de discussão é um documento relativamente simples de apenas 4 páginas que entre outras coisas instituiu os três poderes de Montesquieu. Sistema que já era usado com sucesso pela Commonwealth da Pennsylvania desde o início de sua fundação.

Independence Hall – Ranger mostrando cópia da Constituição americana

Pela constituição, o Presidente dos Estados Unidos é eleito para um mandato de quatro anos pelos cidadãos eleitores num sistema (digamos bem confuso) em que os candidatos não ganham diretamente pelo número absoluto de votos no país, mas sim pelo resultado da apuração dos condados de cada Estado gerando uma espécie de eleição dentro da outra. O número votos proporcionais da população determina o vencedor naquele estado.

Escultura de George Washington em frente ao Independence Hall em Philadelphia

Duas casas compõem o Congresso: a Camara dos Representantes (Deputados) com delegados de cada Estado num número proporcional a sua população; e o Senado, com dois representantes por Estado. Por sinal foi graças ao lobby de estados pequenos como Delaware que existe o senado com representação política igualitária entre todos os estados. De uma forma geral, o Congresso (Camara dos Representantes) vota leis e orçamentos. Já o Senado zela pela política de segurança e política externa.

Estátua de Benjamin Franklin nos arredores do Independence Hall

A suprema corte é composta por 7 juízes vitalícios, indicados pelo presidente dos EUA que são sabatinados e aprovados pelo Senado. Estes juízes resolvem os conflitos entre estados e entre estes e a União, garantindo o cumprimento e prevalescência da constituição federal em detrimento as constituições estaduais e as leis mais recentes do país.

Suprema Corte da Pennsylvania no Independence Hall

A constituição dos Estados Unidos prevê um sistema de alterações, por intermédio de Emendas Constitucionais, tendo ao longo de todos estes anos utilizado-se deste artifício por apenas 27 vezes. A título de comparação, o Brasil já teve 7 constituições, 8 segundo alguns autores. E só na última constituição promulgada en 1988 existem mais de 70 emedas constitucionais.

National Constitution Center em Philadelphia

Desta forma, segundo a constituição os três poderes “teoricamente’ protegem o povo e asseguram através de um sistema de limites e equilíbrio a governança do país. (Isso quando a briga entre Democratas e Republicanos não interfere no processo). A constituição americana seria assinada pelos delegados em 17 de Setembro de 1787 e desde então é a carta magna do país. Sendo que Delaware foi o primeiro estado a ratifica-la.

We the People… No National Constitution Center em Philadelphia

Apesar de os documentos originais não estarem dispostos em Philadelphia (estão no National Archives em Washington DC) , visitar o Independence Hall e alguns dos outros 25 prédios históricos que foram testemunhas oculares do processo de independência dos EUA, é sem dúvida uma das melhores aulas de história americana que você pode ter na vida.

Independence National Historical Park

Informações Úteis:

O Independence Visitor Center abre todos os dias da semana, exceto no natal das 08:30 as 19:00. E é lá que você pega gratuitamente o ingresso com hora marcada para visitar o Independence Hall. Estes ingressos são necessários para visitação entre os meses de Março e Dezembro. Tickets com hora marcada podem ser reservado com antecedência via telefone ou online mediante uma taxa de serviço de 1.50 USD por ingresso.

Lembrando que fora o Independence Hall todas as outras atrações do Paque Histórico Nacional da Independencia podem ser visitadas na hora sem a necessidade de tickets com hora marcada. Para maiores informações sobre o horário de funcionamento das atrações do parque acesse aqui.

Veja mais:

Fotos em nossa página no Facebook do Independence National Historical Park em Philadelphia

Endereço:

Independence Visitor Center

525 Market Streets, Philadelphia, PA

 

Posts Relacionados:

 Freedom Trail em Boston – O caminho para a Independência

 Independência dos EUA contada em Valley Forge

 Harrisburg: Visitando o capitólio da Pennsylvania

Índice com todos os Posts do MauOscar

Clique na Logo =>

Siga o MauOscar.com também no:

  

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Categorias América do Norte, Estados Unidos, Pennsylvania, Philadelphia

Autor:MauOscar BlogdeViagens

Blog de Viagens de dois expatriados brasileiros que adoram viajar, fotografar e compartilhar experiências pelo mundo Já moramos no Brasil, Alemanha, Cingapura, Estados Unidos e agora estamos morando em Auckland na Nova Zelândia

13 Comentários em “Independência dos EUA: A história no Independence National Historical Park em Philadelphia”

  1. bernardette Amaral
    05/08/2012 às 14:12 #

    Acabei de visitar Filadelfia, usei informações do seu blog. Adorei a cidade e compartilho com você essa admiração pela Historia dessa nação. Fiquei apenas dois dias, foi muito pouco, a cidade toda preparada para o turismo. Encantei-me com o respeito e a reverência que os americanos têm pela sua História.

    • MauOscar
      05/08/2012 às 20:28 #

      Bernadette

      Legal saber que você usou algumas de nossas dicas em sua visita à cidade. Philadelphia é de fato uma aula de história americana.. O respeito pelo passado e a história que o americano tem é mesmo impressionante. Mesmo que as vezes seja até um pouco “over the top”
      Obrigado pela visita e pelo feedback

  2. jenny
    06/08/2012 às 00:51 #

    Muito elucidativo o post e é muito interessante a historia dos EUA. Gostei bastante da aula de historia. Bjos

    • MauOscar
      06/08/2012 às 22:57 #

      Jenny

      Legal saber que você gostou..

      Bjs

  3. 15/12/2012 às 15:25 #

    Já estive na Philadelphia (prefiro grafar assim) duas vezes, cada uma melhor do que a outra. Claro que não era o objetivo do te post, mas o escritor americano Edgar Allan Poe também viveu nessa cidade e escreveu vários de seus contos lá. Philly é mesmo uma linda cidade, preparada para o turismo e as pessoas são muito receptíveis. Pena que das duas vezes que fui, foi uma correria. Parabéns pela postagem e o resumo de toda essas historia americana.

    • MauOscar
      07/01/2013 às 03:24 #

      Bruno</strong

      Obrigado pela visita

  4. Carlos A. Ranzani
    18/06/2013 às 21:25 #

    Ola, MauOscar. Vamos viajar agora em julho p/ os USA e especialmente esta região. A leitura dos brilhantes posts de vcs sobre Philadelphia, Washington, Boston e New York tem me ajuda muito. Gostaria de pedir mais um dia p/ vcs. Faremos o trajeto de Philadelphia a Boston no dia 12 de julho, de carro. Segundo o Google maps, são 512 km, aproximadamente 5:30 h de viagem. Gostaria de saber se vcs tem sugestões de pit stop no caminho. Tanto p/ almoço, como para descanso, como alguma cidadezinha, ou parque ou lugar mais pitoresco para estas paradas. Um grande abraço e muito obrigado pelo quanto vcs facilitam a nossa vida de viajantes e parabéns pelo belo bloq.

    • Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens
      24/06/2013 às 15:36 #

      Carlos

      Desculpe a demora.. Sim pelo caminho existem várias cidadezinhas/lugares interessantes para dar uma parada.. Eu particularmente recomendo Princetown (para visitar a Universidade do Einstein, quem sabe uma paradinha no Thomas Edison National Historical Park em West Orange em New Jersey, New Haven para visitar a Universidade de Yale. Dependendo o caminho vale a pena passar por Providence (Rhode Island) ou mesmo Hartford em Connecticut.. Só digo que essa viagem mesmo tocando direto, dificilmente vc fará em 5:30… Dependendo o horário que você sair de Philadelphia, passar pela altura de NY e chegar em Boston, vc certamente vai pegar transito.. Dentre as opções que citei acima acho que a visita ao campus da Yale University é certamente a mais logisticamente viável, uma vez que está praticamente no meio do caminho entre Philly e Boston

      Abraço

  5. Carlos A. Ranzani
    18/06/2013 às 21:35 #

    Ah…..completando a pergunta anterior. Faremos Washington a Philadelphia tb. de carro, 2 dias antes. Por favor, alguma dica de pit stop durante o percurso? Vale a pena uma parada rapida em Wilmington? Tanto numa viagem como a outra, ha alguma cidade, parque, etc. que valha a pena sair um pouco da rota, fazer um desvio p/ visitar. Muito obrigado pela gentileza.

    • Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens
      24/06/2013 às 15:42 #

      Carlos

      Eu acho que vale sim.. Em primeiro lugar Wilmington está em Delaware, e Delaware é um dos únicos 5 estados sem imposto (sales tax nos EUA) ótimo para fazer as compras da viagem. Além disso a região de Wilmington/Brandywine Valley tem inúmeras atrações turísticas históricas interessantes.
      Dê uma espiada nos posts do Brandywine Valley => http://mauoscar.com/category/america-do-norte/estados-unidos/delaware/brandywine-valley/ (Recomendo bastante visitar pelo menos o Longwood Gardens) Pelo caminho entre Washington DC, recomendo ainda conhecer Annapolis e quem sabe Baltimore (Posts de Maryland estão aqui => http://mauoscar.com/?cat=28049)

      Abraço e mais uma vez desculpe a demora em responder

      Abraço

      • Carlos A. Ranzani
        27/06/2013 às 22:35 #

        Oi, Oscar. Muito obrigado pelas respostas, e não hà do que pedir desculpas. Vou decidir quais das opções iremos realizar e na volta conto aqui as nossas impressões. Muito grato.

        • Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens
          01/07/2013 às 20:36 #

          Legal.. ficarei aguardando

          Abraço e boa viagem

Trackbacks/Pingbacks

  1. Freedom Trail em Boston – O caminho para a Independência dos EUA | MauOscar Blog de Viagens - 01/08/2012

    [...] Através da Freedom Trail, podemos visitar estes locais um após o outro, quase como Revere e Adams faziam na Boston Colonial. Por cerca de 15 anos entre 1761 e 1775, Boston foi o “cadinho” onde os ideais americanos foram inicialmente forjados e preparados para o seu maior teste: A Independência, assinada pelas 13 colônias em 04 de Julho de 1776 no Independence Hall em Philadelphia. [...]

De vida a este blog, deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 7.507 outros seguidores