Lembrando o 11 de Setembro

Ataque 11 de Setembro, Fotos Inéditas  (5)

Dez anos após a fatídica terça-feira de 11 de Setembro de 2001, aqui estamos nós “celebrando” uma década de medo e guerra contra o terrorismo. Uma data que de forma direta ou indireta nos faz lembrar diariamente que os desdobramentos daquele trágico dia estão mais presentes em nossas vidas do que nós imaginamos.

Nos últimos dias por aqui, a mídia não fala outra coisa..(e deverá falar por muitos outros ainda). O nível de alerta para possíveis ataques nos EUA e alvos aliados foi elevado nas últimas semanas e sinceramente falando, espero que neste 10º aniversário da data mais nefasta de nossa geração (e nem, em nenhuma outra). Nada comparável ao que assistimos ao vivo pela TV há 10 anos atrás se repita novamente.

Jamais imaginaria que 10 anos depois dos ataques de 11 de Setembro, estaria morando aqui nos EUA. Nunca fui um grande fã do estilo americano belicista de ser e enxergar o mundo. Mas nestes quase dois anos aqui, conheci um lado que não conhecia e aprendi a gostar e admirar muitas (não todas) coisas deste país.

 Em outras palavras, vivendo aqui e sendo parte da história, no sentido amplo da palavra, acabei me sentindo meio que obrigado/inspirado a escrever alguma coisa sobre o 11 de Setembro aqui no Blog.

Minha primeira lembrança sobre o 11 de Setembro, me levam para uma aula do terceirão do ensino médio em 2001. Mais precisamente alguém entrando na sala de aula falando que acabara de acontecer um acidente envolvendo uma aeronave e uma das torres do World Trade Center em Nova York. Até então, nínguem suspeitava que aquilo pudesse ser o início de um conturbado período da história. Marcado por medo, ódio e principalmente muito sangue.

A televisão da sala de aula foi ligada e em questão de minutos o que todos pensavam que era um replay, acabou se tornando confirmação. Os EUA estavam, de fato, sendo alvo de uma onda de ataques terroristas de grandes proporções. Concomitantemente, as emissoras de TV falavam de um incêndio, possivelmente causado por outra aeronave no prédio do Pentagono em Washington DC. Além disso, o espaço aéreo dos EUA era fechado pela primeira vez na história e um avião caia na Pennsylvannia.

Na minha opinião, o mais impressionante daquela fatídica terça-feira foi ver as pessoas pulando para a morte nos andares mais altos WTC e depois ver torre após torre ruindo como se fossem feitas de areia. Parece que foi ontem. Mas ver aquelas imagem capturadas e transmitidas ao vivo para os quatro cantos do mundo, gerou uma sensação de insegurança e muito medo.. Qual seria a resposta/retaliação dos EUA? Seria o início de uma terceira Guerra Mundial?

“Felizmente” até aquela data, os EUA ainda não conheciam quem de fato era o inimigo, o que por um lado provavelmente evitou decisões precipitadas. Mas como reflexo dos acontecimentos daquele dia, em que os EUA era atacado pela primeira vez desde Pearl Harbour em 1941 (sendo esta a primeira vez em seu solo), muitas coisas mudariam para todos nós e que refletiriam na construção de uma nova ordem mundial no século XXI.

Como resultado direto desta 1 década de guerra contra o terror, os EUA perderiam seu posto único e absoluto de grande potência mundial e assistiria de uma posição nada confortável o que Fareed Zakaria, autor do The Post American World e correspondente senior da CNN, chama de “The Rise of the Rest”. Onde passamos a viver num mundo multipolarizado com várias potências mundiais.

Para nós, viajantes, a principal mudança se deu no que diz respeito aos procedimentos de imigração e segurança dos aeroportos. As vezes me pergunto como seria o mundo sem o 11 de Setembro?!  Provavelmente melhor creio eu…

Cada vez que vamos viajar de avião aqui nos EUA, o número de “Smurfs” da TSA parece ser maior. Os procedimentos parecem estar cada vez mais rígidos, e mesmo com toda a parafernália de scanners e afins, as vezes me pergunto se realmente estamos mais seguros?! Ou se aquilo também não faz parte de um teatro.

A Alemanha recentemente concluiu que os Full Body scanners (a última invenção de segurança dos aeroportos nos EUA) não são totalmente eficazes contra os terroristas / mal intecionados. Sim é melhor que nada é verdade, mas ter que entrar numa máquina de Raio X e ainda colocar a mão na cabeça para um Smurf ver você praticamente pelado is a little too much… Isso quando os tais Full Scanner Body, que custam uma fortuna, estão funcionando.

Acho que o Scanner da bagagem de mão é totalmente aceitável e nós viajantes já assimilamos isso muito bem..Mas sermos expostos a uma máquina de Raio X corporal toda vez que vamos entrar num avião é absolutamente desnecessário, quase uma paranóia. Você “teoricamente” tem o direito de refusar a passar pelo tal scanner, mas tem que esperar um Smurf apalpar você antes de seguir viagem. Não sei o que é pior….. Gostaria de saber quantos incidentes os novos Full Body Scanners conseguiram detectar / evitar comparado ao mesmo procedimento na porta detectora de metais?!  Certamente além do aspecto de segurança, muitos outros interesses estão envolvidos.

Isso sem falar no transtorno causado para os milhares de viajantes que usam os aeroportos deste país ou que embarcam para cá todos os dias. Transtornos que vão deste ter que tirar os calçados só porque um infeliz resolveu colocar uma bomba no solado do sapato em Dezembro de 2001. Passando pelas restrições cada vez mais severas do transporte de líquidos e objetos na bagagem de mão. Até chegar as questões relativas ao visto e entrada nos EUA.

Tanto que nenhuma outra indústria dos EUA sentiu num nível mais amplo e claro os efeitos dos ataques de 11/9 que a indústria de viagens/turismo dos EUA. Esses dias li uma reportagem com Roger Dow, presidente da Associação de Viagem EUA, que dizia que desde 11/9 o número de visitantes internacionais tem representado uma oportunidade perdida para a economia dos EUA. Algo que, os EUA não está podendo se dar ao luxo, nestes dias de recessão e altos índices de desemprego.

Enquanto, o numero de viajantes/vôos de longa distância cresceu cerca de 40 por cento entre 2000-2010 no mundo. O número de turistas extrangeiros visitando os Estados Unidos durante o mesmo período aumentou apenas 2 por cento. E este valor só está positivo, pois nós brasileiros não desistimos nunca. E mesmo com todas as adversidades imigratórias e não sendo tão bem vindos assim, ainda insistimos em gastar nosso rico dinheirinho na terra do Tio Sam. Mesmo que isso represente mais de 120 dias de espera para agendar uma vaga num dos 4 consulados dos EUA no Brasil e um custo enorme de locomoção e hospedagem, caso você não more perto de umas destas 4 cidades.

Felizmente a forma de como os EUA enxergam o Brasil tem melhorado um pouco, graças aos milhões de dólares que injetamos nas economias de Nova York, Miami e Orlando. Se tudo correr bem, quem sabe um dia seremos mais bem vindos e seremos dispensados da chatice do visto.

Em 2000, os EUA representava cerca de 17% do mercado global de viagens em 2010 este percentual caiu para 12.4%, justamente causados pelas dificuldades em ingressar no país pós 11/09 e também pelo “The Rise of the Rest”. Em outras palavras isso significa dizer que os EUA receberam cerca de 78 milhões de visitantes a menos do que deveriam receber se não fosse os desdobramentos do 11/09.

Uma das maiores afetadas pelos ataques 11/09, as Cias Aéreas que além de “perder 4 aviões num único dia”, amargaram prejuízos que custaram-lhe pelo menos 3 anos de crescimento, segundo a IATA.

Indiscutivelmente, o maior legado de 11/09 é seu impacto sobre a segurança do aeroporto e a experiência do passageiro. Os governos têm que pagar a conta das ameaças de segurança. Mas as companhias aéreas e seus passageiros gastaram em 2010 7.4 bilhões de dólares em segurança. Enquanto a indústria do turismo sofre com os desdobramentos de 11/09, a indústria de segurança faz a festa no sentido literal da palavra.

 

 

A Revista Time, comemorativa do 11 de Setembro, publicou esta semana uma cronologia com os principais acontecimentos ao longo destes 10 anos de guerra contra o terror, Achei super interessante e resolvi traduzir: Na medida do possível tentei ilustrar a retrospectiva destes 10 anos de guerra contra o terror com algumas das capas relacionadas aos eventos mencionados à seguir…

Time 10 anos pós 11/9

11 de setembro de 2001  

Capa da Time em 14 de Setembro 2001

08h46: Seqüestradores lançam o Vôo 11 da American Airlines contra os andares em 93 a 99 da torre norte do World Trade Center em Nova York.

09h03: Seqüestradores lançam o Vôo 175 da United Airlines contra a torre sul do World Trade Center entre os pisos 78 e 84.

09h37 Seqüestradores jogam o Vôo 77 da American Airlines contra a fachada ocidental do Pentágono em Washington DC.

09:42 O FAA (Federal Aviation Administration) análoga à ANAC, determina o fechamento do espaço aéreo e pouso imediato de todos os voos com destino à parte continental Estados Unidos, pela primeira vez na história so país.

09:59 Após queimar por 56 minutos, o inimaginável acontece. A torre sul do World Trade Center não resiste e desaba.

10:03 Seqüestradores acidentam o Vôo United Airlines 93, em um campo aberto em Shanksville (Pensylvannia), para evitar que os passageiros retomassem o controle do avião. Acredita-se que esta aeronave teria como alvo o capitólio. O local do acidente esta à cerca de 20 minutos de vôo de Washington.

10:28 Após queima por 102 minutos, a torre norte do World Trade Center também não resiste e desaba.

20:30 Presidente George W. Bush discursa à nação: “Hoje, nossos concidadãos, o nosso modo de vida e nossa própria liberdade foi atacada em uma série de atos terroristas deliberados e mortais”. O número de mortos neste dia acabará por ficar em cerca de 3.000, incluindo os 19 seqüestradores. Poderia ser ainda pior pois o expediente não havia começado totalmente.

12 de setembro de 2001: Vinte e seis horas depois do colapso da torre norte, os socorristas resgatam Genelle Guzman dos destroços do WTC, ela é o último sobrevivente a ser resgatado com vida dos escombros do World Trade Center.

14 de setembro de 2001: Bush visita o World Trade Center. Em um discurso improvisado do alto de um carro de bombeiros esmagado pela queda das torres gêmeas, ele diz: “As pessoas que derrubaram estes edifícios vão ouvir de todos nós em breve.”

Bush em visita ao Ground Zero

15 de setembro de 2001: Balbir Singh Sodhi, um sikh, torna-se a primeira vítima do ódio nos EUA pós 11 de Setembro. Este foi o primeiro de uma série de crimes de intolerância religiosa que sucederam o 11 de Setembro de 2001 nos EUA. A vítima foi morta a tiros em Mesa, Arizona, enquanto abastecia o carro. O assassino diz à polícia que estava se vingando contra os “árabes” depois de assistir ao colapso das torres gêmeas pela televisão. Nos 3 meses e ½  após a sequência dos ataques do 11/9, mais de 300 investigações criminais federais em resposta a incidentes semelhante foram iniciadas nos EUA.

16 de setembro de 2001: Bush aponta o nome de Osama bin Laden como o principal suspeito. Bin Laden emite um comunicado: “Insisto que eu não realizei este ato.”

Capa Bin Laden

17 de setembro de 2001: Chicago Tribune: “Get bin Laden” vivo ou morto, diz Bush.

05 de outubro de 2001: Robert Stevens, editor de fotografia do tablóide The Sun baseado na Flórida, morre de antraz pulmonar após a inalar esporos da bactéria (Bacillus anthracis) de uma carta enviada de Trenton, Nova Jersey. Em 18 de setembro, acredita-se que outras cartas semelhantes tenham sido enviadas para a ABC News, CBS News, NBC News e New York Post.

Cartas com Antrax

6 de outubro de 2001: A última equipe federal de resgate deixa o Ground Zero. A missão oficial transforma-se em tarefa de recuperação / reconstrução.

7 de outubro de 2001: Depois que o regime Taliban se recusa a entregar Osama bin Laden, os EUA e seus aliados lançam a Operação Liberdade Duradoura. Em um discurso ao povo americano, Bush diz: “Em minhas ordens, os militares dos Estados Unidos começaram uma série de ataques contra a Al-Qaeda, seus campos de treinamento terrorista e instalações militares do regime talibã no Afeganistão.” Em uma mensagem gravada, Bin Laden diz: “A América [está] tomada por medo … Graças a Allah por isso.”

Time sobre Al Qaeda

02 de novembro de 2001: O governador de Nova York George Pataki e o prefeito da cidade de Nova York Rudolph Giuliani estabelecem a Lower Manhattan Development Corporation para supervisionar a reconstrução do site do World Trade Center.

3 de dezembro de 2001: Com o Taliban quase derrotado no Afeganistão, os EUA centra-se na caça à Bin Laden, o qual de acordo com relatórios de inteligência estaria escondido em um labirinto fortificado de túneis e cavernas em Tora Bora.

Capa da Time de 17/12/2001

13 de dezembro de 2001: Funcionários em Washington divulgam um vídeo de Bin Laden falando com um convidado Saudita, no qual incrimina-se nos ataques de 11/9, dizendo: “Calculamos de antemão o número de vítimas.” A manchete do Washington Post diz: “Para as famílias das vítimas, a decisão: Do I Really Want to Watch This?”

20 de dezembro de 2001: New York Post publica: “Twin Towering Inferno is Finnally Out” (O Inferno nas torre gêmeas finalmente terminado). Um dia após Pataki anunciar que os incêndios no local do World Trade Center foram finalmente extintos.

22 de dezembro de 2001: Richard Reid tenta detonar uma bomba dentro de seu sapato a bordo do vôo 63 da American Airlines vindo de Paris com destino à Miami. Ele é subjugado por comissários de bordo e passageiros.

23 de dezembro de 2001: A Times nomeia Giuliani a personalidade do Ano em 2001.

Rudy Giuliani na Time

11 de janeiro de 2002: Os primeiros 20 detidos por terrorismo chegam ao centro de detenção em Guantanamo. Uma semana depois, Bush decide que pelo fato de serem terroristas, isto os desqualificam da proteção dos presos de guerra da Convenção de Genebra.

29 de janeiro de 2002: Em um dos discursos mais importantes feitos pelo presidente dos EUA ao longo do ano, O State of the Union, Bush rótula Irã, Iraque e Coréia do Norte como o “eixo do mal”.

01 de fevereiro de 2002: Daniel Pearl, jornalista do Wall Street Journal é decapitado pela Al-Qaeda depois de ser seqüestrado no dia 23 de janeiro no Paquistão.

11 de marco, 2002: Marcando o aniversário de seis meses dos ataques, o Tribute in Light, uma instalação projetando dois feixes de luz para cima de Manhattan, é inaugurada no local onde existiam as torres. New York Post publica: “The Light Fantastic: Tribute Glowing” Mostrando ao mundo que não estamos desistindo”. USA Today publica: “Olhos, corações tornam-se para os céus sobre NYC“.

1 Ano após 11 de Setembro na Time

11 de abril de 2002: Al-Qaeda reivindica a responsabilidade por uma explosão de um caminhão na ilha tunisina de Djerba que mata 19 pessoas.

21 de maio de 2002: Coleen Rowley, um agente do FBI em Minnesota, apresenta uma carta de 13 páginas ao diretor do FBI Robert Mueller detalhando como a agência subestimou e não tomou as medidas necessárias com base nas informações fornecidas pelo escritório do FBI de Minneapolis sobre suposto terrorista Zacarias Moussaoui. Ao não agir, o FBI teria deixado os EUA vulneráveis ​​aos ataques de 11/09, escreve ela. Junto com outros dois denunciantes, o autor da carta é mais tarde nomeado pela TIME, a personalidade do ano de 2002.

Antes de 11 de Setembro

28 de maio de 2002: Os trabalhadores do Ground Zero cortam a última coluna ainda de pé do World Trade Center.

25 de junho de 2002: O último caminhão de entulho é tirado do Ground Zero. Ao todo, mais de 1,8 milhões de toneladas de detritos foram removidos do local e 19.435 partes de corpos são recuperados. New York Times publica: “Últimos 4 Bombeiros deixam o Ground Zero: Nosso trabalho está feito”.

16 de julho de 2002: Chicago Tribune publica: “Outro triste capítulo de 11 de setembro termina; busca restos mortais de vítimas do WTC é encerrado”. Trabalho de identificação ainda continuaria por muito tempo.

14 de agosto de 2002: Após a rejeição pública de uma primeira rodada de propostas de design para o local do World Trade Center, a Lower Manhattan Development Corporation anuncia um novo concurso. O qual atrairia cerca de 2.000 propostas de diferentes partes do mundo.

12 de outubro de 2002: Um ataque terrorista realizados por um grupo afiliado à Al-Qaeda mata 202 pessoas, principalmente estrangeiros, em uma boate em Kuta na ilha de Bali na Indonésia.

12 de novembro de 2002: Uma gravação de áudio atribuída à Bin Laden se refere à série de ataques atribuídas à Al-Qaeda e seus aliados é divulgada. Na qual ele/Al Qaeda assumem responsabilidade tanto o atentado de Bali em Outubro, bem como um atentado sinagoga na Tunísia, em abril e um ataque com carro-bomba no Paquistão em maio. Bin Laden também ameaça os países que apoiaram os EUA na sequência do 11 de Setembro.

Capa da Time em 28 de Outubro 2002

 

25 de novembro de 2002: O Departamento de Segurança Nacional, (The Department of Homeland Security), uma organização englobando 22 agências, incluindo o Serviço Secreto, TSA e FEMA, é criada.

27 de novembro de 2002: A Comissão Nacional sobre os Ataques Terroristas contra os Estados Unidos, ou 09/11 Commission é estabelecida à pedido do Presidente e  Congresso dos EUA.

28 de novembro de 2002: Carros-bomba suicidas atacam um hotel de propriedade israelenses perto de Mombasa, no Quênia, deixando 13 civis e os três terroristas suicidas mortos. Dois mísseis por pouco não acertam um vôo charter israelense – Um Boeing 757 transportando 261 passageiros que estava decolando do aeroporto de Mombasa na hora do ataque. Al-Qaeda reivindica a responsabilidade do ato.

05 de fevereiro de 2003: o Secretário de Estado Colin Powell aparece perante o Conselho de Segurança da ONU para fazer lobby a favor da ação militar no Iraque. Ele diz: “Não pode haver dúvida de que Saddam Hussein tem armas biológicas e a capacidade de rapidamente produzir mais, muito mais.”

Capa da Time em 03 de Março 2003

26 de fevereiro de 2003: O projeto de Daniel Libeskind é escolhido entre nove semifinalistas para a reconstrução do site do World Trade Center.

16 de março de 2003: Dias antes de os EUA iniciar a invasão ao Iraque, o vice-presidente Dick Cheney diz: “Minha crença é que, de fato, sejamos recebidos como libertadores.”

19 de março de 2003: Os EUA começam a bombardear Baghdad numa campanha chamada de “Shock and Awe” (choque e pavor).

20 de março de 2003: Chicago Tribune publica: “Nós não aceitaremos qualquer resultado, a não ser vitória”. New York Times publica: “Sob ordens de Bush, inicia a guerra no Iraque; Mísseis aparentemente não acertam Hussein”.

Ataque ao pentágono

01 de abril de 2003: A soldado Jessica Lynch, que fora presa pelas forças iraquianas em  23 de março, é resgatada numa operação especial dos EUA. Lynch depois acusaria o Pentágono de exagerar a sua história para fins de propaganda. Quatro anos depois, ela diz a um comitê do Congresso, “Ainda estou confusa sobre o porquê eles escolheram a mentira e tentaram fazer-me uma lenda, quando o heroísmo real foi de meus  companheiros naquele dia.

09 de abril de 2003: As forças da coalizão liderada pelos Marines assumem Baghdad. Civis iraquianos, derrubam uma enorme estátua de Saddam que ficava na praça principal da cidade.

Queda de Saddam na Time

28 de abril de 2003: A Lower Manhattan Development Corporation lança o concurso para o design do memorial de 11/09.

01 maio de 2003: Com uma faixa dizendo “missão cumprida”, Bush declara o fim das grandes operações de combate no Iraque.

06 de outubro de 2003: A Capa da TIME: “Missão não Cumprida: Como Bush, calculou mal a missão de libertar o Iraque”.

Time de 06 Outubro de 2006

13 de dezembro de 2003: Saddam é capturado por soldados dos EUA em um buraco perto de Tikrit, Iraque. A Capa da Time: “Nós o pegamos!”

 Capa da Time: “Nós o pegamos!”

19 de dezembro de 2003: O projeto da Freedom Tower é apresentado com 541 m de altura (a antena da torre Sul tinha 526 m) – Agora apenas um edifício o projeto é produto de uma colaboração entre Libeskind e pelo arquiteto David Childs. Libeskind, mais tarde, se distanciaria do projeto, que será creditado unicamente para Childs.

21 de dezembro de 2003: O soldado americano é nomeado a personalidade do ano pela TIME em 2003.

Capa da Time, personalidade do ano: O Soldado Americano

Janeiro de 2004: Um júri de 13 – incluindo artistas, designers e um representante das famílias das vítima 11/09 – Seleciona Reflecting Absence de Michael Arad e Peter Walker como o vencedor da competição para a construção do Memorial de 11/09.

11 de março de 2004: Terroristas detonam 10 bombas por telefone celular em linhas do metro de Madrid, matando 191 pessoas e ferindo cerca de 1.800. Os autores teriam sido inspirados pela Al-Qaeda, embora o grupo não teve envolvimento direto na explosão.

Capa da Time pós atentado de Madrid

22 de abril de 2004: Soldado Pat Tillman, um ex jogador da NFL que se alistou depois de 11/09, é morto no Afeganistão. Sua morte, originalmente anunciada pelo Exército como resultado de fogo inimigo, acabou posteriormente revelada como resultado de fogo amigo.

28 de abril de 2004: Fotos e descrições de tortura na prisão de Abu Ghraib no Iraque vão ao ar no programa 60 Minutes II da rede CBS e e são publicados na revista New Yorker. O Departamento de Defesa remove 17 soldados e oficiais de plantão. Onze soldados são acusados ​​de abandono do dever, maus-tratos e foram condenado a prisão militar e expulso do serviço militar.

Capa da Time em 24 de Maio

5 de julho de 2004: New York Times publica: “Renascimento marcado pela pedra fundamental no Ground Zero”.

22 de julho de 2004: O relatório da Comissão 11/09 é liberado. Entre outras coisas, declara que ambos os presidentes Bill Clinton e Georg W. Bush não foram bem servidos, apontando uma numerosa lista de falhas de inteligência pelo FBI e CIA.

Capa da Time em Agosto de 2004

11 de setembro de 2004: New York Post publica: “A WTC Site to Behold: Planners Debut New Vision; Rebuilding Steams Ahead”. Em alusão ao plano de reconstrução do Ground Zero.

Outubro 2004: Dias antes da eleição presidencial dos EUA, Bin Laden divulga uma fita de vídeo na qual ele reconhece publicamente pela primeira vez o envolvimento da Al-Qaeda nos ataques de 11 de Setembro de 2001 e alerta para a possibilidade de novos ataques acontecerem.

02 de novembro de 2004: Bush é reeleito Presidente dos Estados Unidos, com 50,7% dos votos, derrotando o democrata John Kerry.

Capa da Reeleição de Bush

09 de novembro de 2004: New York Times publica: “U.S. Begins Main Assault in Fallujah, Setting off Street Fighting” Em alusão ao início de combate mais tradicional com soldados na linha de frente para tomada de cidade rebelde de Fallujah no Iraque.

Capa da Time de 22/11/2004

12 de janeiro de 2005: Funcionários de inteligência dos EUA confirmam que os EUA encerraram às busca de armas de destruição em massa no Iraque. Armas de destruição em massa, que motivaram a guerra no Iraque nunca foram encontrados.

27 de abril de 2005: George Tenet, antigo director da CIA, reflete sobre sua afirmação de que a CIA havia encontrado evidências comprovando a posse de armas de destruição em massa pelo Iraque: “Essas foram as duas palavras mais estúpidas que eu já disse”.

07 de julho de 2005: Quatro homens-bomba detonam explosivos em três trens e um ônibus na hora do rush da manhã de Londres vitimando 52 vidas inocentes. Os bombardeios são posteriormente ligados à Al-Qaeda. Como desdobramento desta história o Brasileiro Jean Charles de Menezes é morto na estação de Stockwell do metro de Londres, confundido como terrorista 18 dias depois pela  polícia londrina.

Atendados em londres na capa da Time

06 de agosto de 2005: Cindy Sheehan, cujo filho Casey Sheehan foi morto no Iraque, promete acampar perto do rancho de Bush em Crawford, Texas, até que o presidente concordar em se encontrar com ela.

Capa de 2 anos do 11/09 da Time

04 de novembro de 2005: O New York Times publica “Without Fanfare, Building of New Trade Center Starts”.

15 de março de 2006: O Congresso cria o Iraq Study Group. Um painel com 10 pessoas do partido republicano e democrata encarregadas em avaliar a guerra do Iraque e recomendando iniciativas políticas para o seu fim.

31 de março de 2006: O New York Times publica: “”Ground Zero Still in Limbo as Talks Fail”.

13 de abril de 2006: Donald Rumsfeld é cobrado publicamente pela forma de condução da guerra no Iraque por seis generais e almirantes aposentados, os quais consideram um “fracasso absoluto”, a forma como este gerencia a guerra. Sete meses depois, Rumsfeld renuncia e Robert Gates é nomeado em seu lugar.

Donald Rumsfeld na Time

28 de abril de 2006: o Vôo 93 é lançado, sendo este o primeiro filme de Hollywood a tratar diretamente dos ataques de 11 de Setembro.

07 de junho de 2006: tropas americanas assassinam o líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Mousab al-Zarqawi ao norte de Baghdad. A TIME coloca um X vermelho sobre o rosto de al-Zarqawi na capa.

Abu Mousab al-Zarqawi, lider da Al Qaeda morto no Iraque

11 de setembro de 2006: No quinto aniversário dos ataques de 11 de Setembro, Bush envia uma mensagem para Bin Laden: “Nós vamos encontrá-lo, e nós vamos levá-lo à justiça.”

06 de novembro de 2006: Saddam Hussein é considerado culpado por um tribunal iraquiano por crimes contra a humanidade e é sentenciado à morte por enforcamento.

19 de novembro de 2006: New York Daily News publica: “A Towering Start: Huge Concrete Foundation Poured for WTC Building” Em alusão ao início da concretagem da Freedom Tower.

06 de dezembro de 2006: O Grupo de Estudo do Iraque no congresso divulga seu relatório. Conclui que a estabilidade no Iraque permanece indefinida e a situação está se deteriorando…O tempo está acabando termina o relatório.

Capa da Time 5 anos após 11/09

30 de dezembro de 2006: Saddam é executado por enforcamento no Iraque.

10 de janeiro de 2007: Em um discurso em horário nobre na TV americana, Bush anuncia “Um novo caminho pela frente no Iraque”, que inclui o envio de cerca de 20.000 soldados adicionais.

09 de maio de 2007: Seis extremistas islâmicos são presos pelo FBI por alegadamente conspirar para atacar o Fort Dix, uma base militar em Nova Jersey.

02 de junho de 2007: Três pessoas são presas em conexão com um ataque terrorista frustrado no John F. Kennedy International Airport, em Nova York.

Capa da Time em Julho de 2007

01 de julho de 2008: É anunciado que a Freedom Tower não ficará pronta a tempo para o 10 º aniversário do 11 de Setembro.

02 de setembro de 2008: Trabalhadores erguer a primeira coluna no local 9/11-memorial.

11 de setembro de 2008: Sete anos depois, o memorial do Pentágono abre ao público, com cerca de 0,8 hectare o parque/memorial conta com 184 bancadas, uma para cada vítima do ataque ao edifício da sede do poder militar dos EUA.

02 de outubro de 2008: The Port Authority de Nova York libera um relatório que diz que a reconstrução do Marco Zero vai levar até dois anos a mais do que o previsto e vai custar um adicional de 1,5 bilhões de dólares. New York Post publica: “WTC Timeline Drags into 2013″.

04 de novembro de 2008: Barack Obama é eleito presidente dos EUA, derrotando o republicano John McCain com 52,9% dos votos.

Obama x McCain

26 de novembro de 2008: Militantes islâmicos, baseados no Paquistão realizam uma série de mais de 10 atentados coordenados em Mumbai. Ao longo de quatro dias, 164 pessoas são mortas e pelo menos 308 são feridas.

22 de janeiro de 2009: Obama assina uma ordem executiva para o fechamento da prisão na Baía de Guantánamo em um ano. Até o momento (Set 2011), 171 prisioneiros permanecem em Guantánamo.

4 de junho de 2009: Em um discurso sobre política externa na Universidade do Cairo, Obama promete buscar um novo começo entre os Estados Unidos e os muçulmanos ao redor do mundo.

13 outubro de 2009: New York Times publica: “General Puts U.S. Troops in Iraq at 120,000 by End of October” Em alusão a elevação do número de Soldados no Iraque para 120.000 até o final daquele mês.

05 Novembro 2009: Oficial do Exército de origem palestina abre fogo na Base Militar de Fort Hood no Texas, a maior dos EUA, matando 13 pessoas.

Fort Hood Shotting

25 de novembro de 2009: WikiLeaks libera mais de 500 mil mensagens de texto enviadas em Nova York em 11/09/2001. Alguns são mensagens oficiais, mas a grande maioria são de pessoas comuns em busca de notícias sobre seus entes queridos.

01 de dezembro de 2009: Em um discurso em West Point (NY), Obama anuncia que vai enviar mais 30.000 soldados para o Afeganistão, redobrando os esforços dos Estados Unidos. A capa da TIME publica ”It’s His War Now”.

His War Now na Time

06 de dezembro de 2009: Em uma entrevista com George Stephanopoulos, o secretário de Defesa Robert Gates diz que “faz muitos anos”, que os EUA tem boa inteligência para descobrir o paradeiro de Bin Laden.

08 de dezembro de 2009: O New York Times publica uma reportagem sobre um centro comunitário muçulmano, mais tarde conhecida como Parque 51, planejado para ser construído perto do Ground Zero.

05 de abril de 2010: WikiLeaks divulga um vídeo mostrando 12 pessoas, incluindo dois jornalistas da Reuters, sendo mortos por um atirador do helicóptero Apache do Exército dos EUA; os militares dos EUA se recusam a punir a tripulação do helicóptero, dizendo: “No momento, não fomos capazes discernir se (os funcionários da Reuters) estavam carregando câmeras ou armas”.

01 de maio de 2010: Vendedores de rua denunciam um carro suspeito na Times Square. Tratava-se de fato de um carro-bomba, o qual foi desarmado antes de causar qualquer fatalidade. Dois dias depois, as autoridades anunciam a prisão Faisal Shahzad, cidadão de origem paquistanesa de 30 anos de idade residente em Bridgeport em Connecticut, quando este estava à bordo de um vôo com destino a Dubai.

Robert Gates, Secretário da Defesa dos EUA em entrevista à Times

07 de junho de 2010: Agentes federais prendem Bradley Manning, um analista de inteligência militar, por supostamente vazar o vídeo do helicóptero com o ataque aos Jornalistas da Reuters. Ele é mais tarde acusado de ajudar o inimigo, roubar registros públicos, fraudar computadores, transmitir informação confidencial a um terceiro não-autorizado entre outras coisas.

23 de junho de 2010: Obama aceita a renúncia do general Stanley McChrystal, comandante das tropas dos EUA no Afeganistão, depois que o general falou com desprezo sobre a administração federal em um artigo da revista Rolling Stone. David Petraeus é então nomeado para substituí-lo.

Capa em Abril 2010

25 de julho de 2010: No maior vazamento de informações confidenciais da história do Pentágono, o WikiLeaks libera registros sobre a guerra no Afeganistão, cerca de 76.000 relatórios militares sobre incidentes não declarados nos quais detalhes das forças da coalizão são revelados. Incidentes que mataram civis afegãos, levantam questões sobre a guerra e potenciais crimes cometidos pelas forças de coalizão.

19 de agosto de 2010: As últimas brigadas de combate dos EUA partem do Iraque, sete anos após a invasão liderada pelos EUA. A guerra deixou mais de 4.400 soldados norte-americanos e dezenas de milhares de iraquianos mortos. Hoje, (Set/2011) cerca de 50.000 soldados permanecem no país para aconselhar as forças de segurança iraquianas e proteger os interesses dos EUA naquele país.

Agosto 2010: Uma revolta popular interrompe a construção do Parque 51 a dois quarteirões do Ground Zero. A Time publica a capa: “Is America Islamophobic?”

Capa da Time de 30 de Agosto 2010

Agosto 2010: Obama recebe a dica de que Bin Laden estaria no Paquistão. No mês seguinte, agentes da CIA começam a trabalhar para confirmar a veracidade da informação.

01 de setembro de 2010: Em um discurso do Salão Oval no horário nobre da TV, Obama diz, “Enviamos os nossos jovens, homens e mulheres para fazer enormes sacrifícios no Iraque e gastamos vastos recursos no exterior em uma época de orçamento apertado em casa … Através deste notável capítulo na história dos Estados Unidos e Iraque, encontramos a nossa responsabilidade. Agora é hora de virar a página.”

12 de setembro de 2010: New York Post publica: “Nove anos depois, progresso finalmente é visível no Ground Zero”.

05 de outubro de 2010: Shahzad, o aspirante homem-bomba da Times Square, é condenado à prisão perpétua após se declarar culpado das acusações de conspiração para usar uma arma de destruição em massa e tentar um ato de terrorismo.

22 de outubro de 2010: WikiLeaks libera cerca de 400.000 documentos militares dos EUA na guerra do Iraque que indicariam cerca de 15.000 mortes de civis que não foram previamente computados pelos números oficiais da guerra.

Wikileaks na Time

15 de novembro de 2010: O New York Times publica: “Plano dos EUA oferece caminho para acabar com o combate no Afeganistão”.

2 de janeiro de 2011: Obama assina a Lei James Zadroga 9/11 de Saúde e Compensação, a qual prevê 4,3 bilhões de dólares para cobertura de cuidados de saúde para bombeiros, policiais e voluntários que trabalharam no Ground Zero e que apresentarem problemas relacionados com a atividade.

01 de maio de 2011: Navy Seals, agentes especiais dos EUA matam Bin Laden em Abbottabad no Paquistão. Obama confirma a morte de Bin Laden em um discurso transmitido pela televisão para o povo americano, dizendo: “Justiça foi feita.” Multidões se reúnem fora da Casa Branca e no Ground Zero para marcar a ocasião.

02 de maio de 2011: Corpo de Bin Laden é sepultado no mar. Ismail Haniya, líder do Hamas, diz: “Nós condenamos o assassinato e a morte de um guerreiro sagrado árabe … Nós a consideramos como uma continuação da política americana baseada na opressão e derramamento de sangue árabe e muçulmano.”

20 Maio 2011: Pela terceira vez em uma década, a TIME coloca um X vermelho na capa, desta vez, sobre o rosto de Bin Laden.

Capa da Revista Time de 20 de Maio 2011 – Fim de Bin Laden

22 de junho de 2011: Obama anuncia que está começando a longa-antecipada retirada das tropas do Afeganistão.

Capa da time semana depois da morte de Bin Laden

10 de setembro de 2011: O Flight 93 National Memorial, em Shanksville, Pensylvannia, abre ao público.

Hoje 11 de setembro de 2011: O Memorial Nacional de 11/09 é inaugurado. E abrirá ao público amanhã dia 12 de setembro de 2011, mediante a reservas neste site.

 

Fotos Publicadas na TIME desta semana: Nunca vistas antes do ataque ao World Trade Center:

 

 

Posts Relacionados:

 Museu de Aviação Militar da Base Aérea de Dover

 Museu Aeroespacial Smithsonian em Washington

 Túneis de Cu Chi e a Guerra do Vietnam

 

Índice com todos os Posts do MauOscar

<= Clique na Logo

 

Siga o MauOscar.com também no:

 

 

 

About these ads

Tags:, , , , , , , , , , , , , , ,

Categorias 11 de Setembro, América do Norte, Curiosidades, Estados Unidos, Retrospectiva, Variedades

Author:MauOscar BlogdeViagens

Blog de Viagens de dois expatriados brasileiros que adoram viajar, fotografar e compartilhar experiências pelo mundo Já moramos no Brasil, Alemanha, Cingapura, Estados Unidos e agora estamos morando em Auckland na Nova Zelândia

4 Comentários em “Lembrando o 11 de Setembro”

  1. 11/09/2011 at 18:47 #

    Excelente retrospectiva!!!!!
    Não fazia idéia dos números do turismo, mas como você disse, os brazucas continuam indo… Afinal, a gente não desiste né? =)
    Realmente o 11/9 mudou o mundo!

    • MauOscar
      12/09/2011 at 10:24 #

      Tata (Ziga da Zuca) Malu e Cláudia

      Obrigado pela visita e pelos elogios
      Deu um trabalhinho consideravel mas não podemos deixar de lembrar para que isso nunca mais volte a se repetir.
      Boa semana para todas vocês

  2. Malu
    12/09/2011 at 00:22 #

    Seu texto deveria, no mínimo, sair na Veja. Parabéns! Perfeito!

  3. 12/09/2011 at 10:02 #

    Oscar!
    Cada vez que leio sobre esse horror e vejo as fotos surreais fico sem ar. Que coisa louca!!!
    Seu relato está impecável.
    Parabéns.
    Bj
    Claudia

De vida a este blog, deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 7.579 outros seguidores