Dicas e Relatos de viagens ao redor do mundo

Chesapeake Bay, o maior estuário dos EUA em uma viagem pela Peninsula Delmarva [RoadTrip]

9

No último final de semana, aproveitando o pouco de verão que ainda nos resta, pegamos o nosso carro, GPS e máquina fotográfica para explorarmos um pouco mais da península em que moramos.

Placa ao longo da Route 213

Considerada a segunda maior península dos EUA, perdendo em tamanho apenas para a península da Flórida, a Península Delmarva é uma enorme porção de terra, com cerca de pouco mais de 14.000 Km2, sendo banhada do lado ocidental pelo Delaware River, Baía de Delaware e pelo Oceano Atlântico e banhada pela Chesapeake Bay pelo lado oriental.

Feno para alimentar rebanho no inverno 

Apesar de o nome Delmarva, significar a abreviação de DELaware, MARyland e VirginiA, os 3 estados que a compõe a península. Nesta viagem concentramos-nos apenas nos estados de Delaware e Maryland. Mais especificamente focados neste último, na porção conhecida como Eastern Shore de Maryland, ou seja na margem leste da baía de Chesapeake.

Marina num dos braços da Chesapeake Bay

Diga-se de passagem, o Maryland Eastern Shore é considerado uma das 10 rotas cênicas mais bonitas dos EUA. E isso se deve em grande parte às inúmeras cidadezinhas históricas ao longo do caminho, mas principalmente ao grande número de enseadas, baías, rios e canais interligados entre si pelas águas da Chesapeak Bay, que por sua vez é o maior estuário dos EUA.

Ponte sobre o Canal Delaware-Chesapeake em Maryland

Iniciamos nossa viagem saindo de Newark, Delaware. A simpática cidade universitária onde está sediada a University of Delawaree onde passamos a residir a partir de Maio deste ano. Seguimos em direção a Elkton, já em Maryland, onde então pegamos a Route 213 em direção Chesapeake City, nossa primeira parada do dia.

Ponte sobre o Delaware – Chesapeake Canal

Chegando à Chesapeake City, atravessámos a imponente ponte metálica (super alta) construída no início do século passado sobre o Delaware-Chesapeake Canal. Visitamos a simpática Chesapeake City pela primeira vez em 2010, durante um happy hour com amigos no pier da cidade. Desde então nunca mais tinhamos voltado lá.

Chesapeake City

Conhecida como “Channel City” ou cidade do Canal, Chesapeake City é cortada por um canal artificial concluído em 1829 e que liga as Baías de Delaware e Chesapeake. Com a construção deste canal/ hidrovia de cerca de 15 milhas de extensão, as embarcações que fariam trajeto entre Baltimore e Wilmington/Philadelphia por exemplo, economizam uma volta em torno da ponta da Península Delmarva. Ou seja, cerca de 300 milhas para Sul e outras 300 milhas para o norte. (a rigor a península Delmarva deixou de ser península e virou ilha.. Mas enfim….)

 

Delaware Chesapeake Canal

Chesapeake City em si, consiste em uma minúscula cidade de apenas 787 habitantes, composta por várias casinhas coloniais antigas, das quais muitas delas hoje foram transformadas em “Bed and Breakfest”. Além disso, conta com um armazém, e alguns bares e restaurantes de frente para a Marina. Por ali, encontra-se também o Chesapeake & Delaware Canal Museum. Um museu que abriga uma bela coleção de memorabilia do tempo da construção do canal.

MauOscar em Chesapeake City Maryland

Com sorte, é possível ver barcaças sendo puxadas por rebocadores e cargueiros de médio porte cruzando as plácidas águas do canal. Na hora que chegamos, cerca de 07:30 da manhã havia uma senhora pescando na beira do pier e na hora que nos aproximamos ela fisgou um peixe. Parecia ser uma betara, peixe que costumava pescar quando era mais novo em São Francisco do Sul.

Pescaria no Chesapeake-Delaware Canal

Continuando viagem pela Route 213 em direção à Chestertown, passamos por florestas, colinas, antigas fazendas cercadas por campos de milho e criação de cavalos. Fazendas estas que datam de meados do século XVII, quando fazendeiros ingleses tinham suas plantations de tabaco, milho e trigo, e usavam seus lucros para construir verdadeiras mansões e divertiam-se com seus cavalos de corrida caçando as raposas da região. (Nós em casa temos um casal com 2-3 filhotes).

 

Fazenda pelo caminho

Pelo caminho, passamos por diversas cidadezinhas coloniais aos moldes de Chesapeake City, como Georgetown, Locust Grove e Kennedyville. Assim como alguns braços de mar que alimentam a Baía de Chesapeake. Mais adiante, na entrada para Chestertown chegamos a um imponente conjunto de edifícios de tijolos à vista conhecido como Washington College. (Homenagem ao primeiro presidente dos EUA, que visitou o lugar em 1784 e doou 50 guinéus ($$ da época) para sua criação).

Washington College, fundado com doação do 1 presidente dos EUA

Seguindo adiante, chegamos à Chestertown, a cidade mais simpática de todas na minha opinião em nossa viagem de final de semana. Com arquitetura característica do século 18, ruas arborizadas, jardins bem cuidados e uma hospedaria com mais de dois séculos de história.

Mercado em Chestertown

Por falar em história, perto do edifício da alfândega no waterfront, em 1774 moradores revoltados com o imposto britânico, destruíram um grande carregamento de chá vindo da Inglaterra despejando todo o seu conteúdo na água. Este ato considerado patriótico, na verdade foi uma reprodução do Boston Tea Party de 1773. Tão patriótico que é comemorado todos os anos por moradores no mês de Maio com um desfile de estilo colonial.

Prédio da Alfândega em Chestertown

Mas o que realmente gostamos de nossa visita à cidade, foi o mercado matinal de sábado, que acontece semanalmente na praça principal da cidade. Um mercado super charmoso que vende produtos horti-fruti e granjeiros orgânicos locais, assim como pães, doces e artesanato feitos na região. Uma graça…

Feira de produtos regionais em Chestertown

Do mercado vale à pena seguir caminhando até o Chester River, que dá nome à cidade, pelo caminho é legal observar a arquitetura colonial e a paisagem do estuário do Chesapeake Bay. Por sinal na hora que ali chegamos encontramos vários gansos à beira d’água.

Gansos em Chestertown

Continuamos a nossa viagem pela route 213. Com um pouco mais de tempo dá para fazer um pequeno desvio, atravessar a monumental ponte que liga o Eastern Shore de Maryland à capital do estado em Annapolis. Como desta vez o tempo estava curto, optamos deixar isso para um outro passeio (veja Post aqui). Mas algumas semanas atrás uma das Bóias lá do Viaje na Viagem visitou a cidade e pelo Post lá publicado, uma visita à capital americana da vela é um programão nota 10.

Feirinha de Sábado em Chestertown

Dirigindo para o sul, logo encontramos o cruzamento de Wye Mills, onde os visitantes podem visitar um moinho do século 18, que emprestou o nome à vila. O moinho de fubá, é um dos poucos moinhos remanescentes daquela época que ainda é possível visitar nos EUA. Este é ainda mais importante, pois o fubá ali moído no tempo da revolução, alimentou às tropas famintas de George Washington em Valley Forge, durante o gélido inverno de 1778.

Old Wye Mills

Dali em uma viagem de poucos quilômetros pela Route 50 basta seguir o GPS ou as indicações para o Wye Island Natural Resources Management Area. Como o nome já diz, uma área de preservação ambiental localizada na zona de influência de maré da Baía de Chesapeake. Um local privilegiado para observar aves migratórias e aves costeiras da região do Mid Atlantic em seus habitats nativos.

Blue Heron em Wye Island

Continuando a Viagem ao Sul da Península opte, se possível, pela route 662 que vai tecendo o seu caminho ao longo da route 50 em direção à cidade de Easton. Esta rota data dos tempos da Revolução Americana e pelo caminho há algumas fazendas remanescentes daquele tempo.

Easton Maryland

Easton é outra simpática cidade que encontramos pelo caminho. Uma cidade com muitas casas coloniais, algumas delas com cerquinha branca de piquete e várias ruas estreitas que parecem ter parado no tempo.

Easton em Maryland

De Easton vale à pena seguir pela route 333 até Oxford. Uma cidadezinha portuária que uma vez que rivalizou com Annapolis entre os principais portos da região. Oxford viu muitas toneladas de tabaco e de grãos serem embarcados em direção à Inglaterra e viu também receber um grande número de escravos e condenados chegarem aos EUA. Diga-se de passagem esta região é a região de fronteira entre o Sul escravagista e o norte abolicionista.

Oxford em Maryland

De Oxford pegue o Ferry Oxford-Bellevue até Bellevue. Este ferry é o amis antigo ferry dos EUA e opera no local desde 1683, naquela época o pagamento da travessia era feito com tabaco. Hoje, eles aceitam até cartão de crédito. Custa 12 USD por carro + 1 USD por Pax e transporta até 9 carros por travessia.

Ferry Boat privado mais antigo dos EUA

Seguindo até a Route 33, vire à esquerda e siga até a pitoresca vila de St. Michaels, cujo porto no Rio Miles é repleto de veleiros e iates elegantes. Na cidadezinha está o famoso Museu Marítimo de Chesapeake Bay, com um acervo que vai desde um antigo farol passando por barcos históricos e até puças utilizadas para pescaria do Blue Crab na baía de Chesapeake.

Estradinha

Continuando adiante pela route 33, por uma estreita faixa de terra conhecida localmente como Bay Hundred Península se chega à Tilghman Island, ligada ao continente por uma ponte levadiça minúscula. Ali você tem uma visão grande-angular do vasto azul-cinza das águas da Baía de Chesapeake, o maior estuário dos EUA. Pena que a umidade atmosférica não colaborou muito com as fotos.

Pescaria no meio da Estrada

Retornando em direção à Easton, hora de seguir pela Route 50 até Cambridge. Pelo caminho passamos por uma enorme ponte sobre o Choptank River. Cambridge foi a cidade que digamos menos gostamos do passeio. A não ser pela vista do Choptank River e pelas elegantes casas em estilo Georgiano e Federal da High Street e pelo elegante Hyatt Regency Hotel, a cidade tem um aspecto um pouco decadente.

Ponte sobre o Choptank River vista do Cambridge

No dia seguinte cedo, fomos para a seção de bird watching de nosso passeio. Localizado à cerca de 15-20 Km ao Sul de Cambridge, o Blackwater National Wildlife Refuge é um paraíso para os amantes da Natureza, em especial para os amantes de bird watching. No local, todos os anos grandes bandos de aves como garças, gaivotas, biguás, patos e gansos selvagens, entre outros migram para se alimentar e acasalar por ali.

Entrada do Refúgio da Vida Selvagem

Um verdadeiro labirinto de canais e matas pantanosas que fornece alimento e abrigo para várias espécies de pássaros. Entre eles o Osprey (Águia Marinha) e o Bald Eagle (Águia Americana) entre outras várias espécies em elevado grau de ameaça de extinção. Um verdadeiro paraíso para Bird Watching, uma pena não ter uma daquelas lentes super poderosas para fotografar as aves bem de pertinho.

Ninho de Osprey’s – Águias Marinhas

Como estamos nos EUA, para ver tudo isso, se paga uma taxinha irrisória (3 USD) para entrar nesta unidade de conservação. Por outro lado você vai/passa de carro dentro do coração do refúgio através de uma sinuosa estrada asfaltada de cerca de 8 Km de extensão onde vai certamente avistar várias espécies de aves, mesmo que seja de dentro do carro mesmo.

Casal de Águias Americanas no canto superior esquerdo

Tudo isso num cenário lindíssimo, um pouco mau-cheiroso é verdade (afinal é pantano e tem enxofre), mas que nos faz imaginar como deveria ser a paisagem do local, quando os primeiros colonos chegaram a esta região há mais de três séculos atrás.

Blackwater National Wildlife Refuge

Seguimos por estradinhas secundárias, todas asfaltadas até Salisbury, chamada também de Crossroads of Delmarva, visto que está quase no centro da Península. Salisbury é uma cidade com pouco mais de 30.000 habitantes e foi a maior cidade dentre aquelas que visitamos nesta viagem.

Casa em estilo vitoriano em Salisbury

Dali “tentamos” seguir até Ocean City, passando por Berlin mas devido ao trânsito acabamos desistindo da idéia. Os planos originais eram comer num Buffet de Frutos do Mar, mas depois de 50 minutos na estrada andando menos de 2 milhas e com outras 7 milhas pela frente, acabamos desistindo da idéia e acabamos indo almoçar num restaurante que apareceu na estrada mesmo. (Meia Boca)

Almoço na estrada quase chegando em Ocean City 

Crab Cakes bem meia boca – Culpa do contra-tempo de viagem

Dali então pegamos um “atalho” até Bethany Beach já em Delaware. Paramos em alguns dos pontos de paradas do Coastal State Park ao longo da Coastal Highway de Delaware. Visto que temos o selo no carro podemos entrar e sair dos State Parks de Delaware quantas vezes quiser.

Oceano Atlantico na Costa de Delaware

Infelizmente, o tempo não estava muito legal, no meio da tarde ainda fizemos uma parada estratégica nos Outlets de Rehoboth Beach. Antes de retornarmos para casa, pegando bastante trânsito de final de semana durante a temporada. Ao todo, nesta viagem rodamos cerca de 550 Km.

Ponte em Construção sobre o Indian River

Fotoblog:

Lojinha em Chesapeake City

Varanda de um Bed and Breakfest

Fazendas no interior de Maryland

Casinhas de Passarinhos numa das fazendas por onde passamos

Easton, MD

Barcos numa das muitas marinhas do caminho

Wye Mills, um dos moinhos mais antigos dos EUA 

Interior de Maryland

Smokey Bear, Simbolo da prevenção dos incendios florestais nos EUA

Gavião no Blackwater Wildlife Refuge

 

Garça no Blackwater Wildlife Refuge

Águia Americana no Blackwater Wildlife Refuge

Biguás no Blackwater Wildlife Refuge

Garça, Ave simbolo de Maryland

Floresta no Blackwater Wildlife Refuge

Ponte de Madeira sobre um dos muitos rios que chegam até o Chesapeake Bay

Estuário da Baía de Chesapeake, o maior dos EUA

Kite Surf em Delaware 

Bethany Beach em Delaware

Roteiro da Viagem no Googlemaps:

Mapa de Nossa Viagem

Posts Relacionados:

 Annapolis: Um passeio pela simpática capital de Maryland 

  Resumo da Série com as atrações turísticas de Boston

 Independência dos EUA contada em Valley Forge

 Museu de Aviação Militar da Base Aérea de Dover

Índice com todos os Posts do MauOscar

 <= Clique na Logo

Siga o MauOscar.com também no:

 Quantcast
9 Comments
  1. Angie says

    Show essa viagem de final de semana de vocês! E tô vendo que eu conheco super pouco desse país tao grandao onde vocês estao morando 🙂
    Beijocas, e bom final de semana!
    Angie

    1. MauOscar says

      Obrigado Angie

      Eu comentei em algum lugar esses dias…
      Antigamente achava ruim que o Americano Médio era péssimo em Geografia do mundo. Com tanta coisa para conhecer por aqui, acho que esse é um dos motivos pelos quais eles não sabem nada de geografia e história do resto do mundo. Não que isso justifique, mas agore dá para tentar desculpar..

      Bom final de semana para vc tb

      Bjs

    2. Soraia Mansur says

      Li o livro duas vidas, dois destinos e fui procurar no Google em região se localizava , me encantei

      1. Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens says

        Soraia

        Essa região é super bonita, principalmente no verão

  2. Mirella (@mikix10) says

    Ai que delícia de post… só faltou um dia de solzão para deixar o passeio ainda mais legal e as fotos mais lindas 🙂
    Adro essas roadtrips que a gente pode fazer nos EUA e no Canadá… sinto uma falta!
    bjao
    PS: Será que tem como colocar o link para a caixa de comentário no final do post… acho tão mais fácil 🙂

    1. MauOscar says

      É verdade Mi

      Só faltou um dia de sol sem muita interferência atmosférica como esta fazendo esta semana…
      Eu pensava que no canadá também dava para fazer umas road trips legais, especialmente na região de Melbourne e Sydney….

      Infelizmente não tenho como alterar o link da caixa de comentário de lugar, mas vou estudar colocar um banner que remeta à caixa de comentários no final de cada post…

      Bjos

  3. […] da Ponte é o Sand Point State Park. Cruzando a ponte fica fácil de imendar a viagem nesta viagem que fizemos pelo Eastern Shore de Maryland, voltando pelo litoral de Delaware. Bay Bridge sobre a Chesapeake Bay em Annapolis […]

  4. JORGE PAULO says

    Ola, farei uma viagem chegando e saindo por Baltimore. O obejetivo é ir para Delaware no carnaval de 2017, vou com esposa e filho 12 anos, ficaremos 5 dias, estaremos de carro, queremos aproveitar para fazer compras sem sale tax. Gostaria de saber qual cidade acha mehor para montar base, Dover? Wilmington?, Newark?, Milford? Vamso no Christiana Mall, Tanger etc…

    Obrigado por qualquer ajuda

    1. Oscar Risch says

      Olá Jorge Paulo

      Recomendo se hospedar no norte de Delaware.. Wilmington, Newark ou New Castle.. Para compras em delaware de uma olhada nesse post aqui => https://www.viajoteca.com/delaware-compras-sem-imposto/

Leave A Reply

Your email address will not be published.