Dicas e Relatos de viagens ao redor do mundo

Newseum – O Museu da Notícia de Washington DC

0

Newseum, ou museu da notícia, é um dos mais novos museus de Washington DC. Inaugurado em 11 de Abril de 2008, o museu é um daqueles lugares que surpreende você em todos os sentidos. Considerado um dos mais caros museus construídos nas últimas décadas, o Newseum tem cerca de 23 mil metros quadrados de espaço para exposições temporárias e permanmentes, que incluem 15 auditórios, 14 galerias, dois estúdios de transmissão, uma ilha de edição e muitos objetos históricos relacionados ao jornalismo. Um verdadeiro templo para quem se interessa por História e Jornalismo.

Entrada do Newseum em Washington

Apesar de quase todos os museus da capital americana serem gratuítos, este não faz parte da Smithsonian Instituion e para visitá-lo é cobrado ingresso (21.95 USD + Tax).Num primeiro momento, você pode pensar.. Com tantos museus excepcionais espalhados pala cidade, porque pagaria ingresso para visitar o Museu da Notícia?!? Pois bem, depois de visitar quase todos os principais museus de Washinton, aproveitamos o fato de que em nossa última visita à cidade o museu estava comemorando 3 anos de existência e fomos lá conhecer.. E chegamos a conclusão que já deveriamos ter visitado este museu muito antes.

Fachada do Newseum

Como era o aniversário do museu, quem ganhou o presente fomos nós. Uma promoção, na qual você imprimia um coupon no website do museu e na compra de um ingresso, ganhava o outro deixou as coisas mais fáceis, digo barata. Por sinal a dica desta promoção foi passada pela @lcampanati e @AprendizdeViajant via twitter.

Museu da notícia de Washington

Para início de conversa, a arquitetura do prédio já impressiona pelo lado de fora. Muito moderna, com pé direito alto, iluminada e espaçosa. Um projeto elabora à quatro mãos por Ralph Appelbaum, James Stewart Polshek.

Fachada Museu da Notícia em DC

Ainda do lado de fora, mesmo que você decida não entrar no museu estão disponíveis para leitura as primeiras capas das principais publicações impressas de todas as capitais/grandes cidades dos Estados Unidos além de alguns dos principais jornais do mundo, que são trocados diariamente pelo museu. A propósito eles tem um Aplicativo super legal para Iphone/Ipad com estas capas

 Capas de Jornal

Se você decidir visitar o museu como nós, logo na entrada terá que passar por uma porta detectora de metais e ter a mochila revistada, para ai poder comprar o ingresso. Ainda no Hall principal, olhando para cima podemos observar um satélite e um helicóptero de uma emissora de TV (acho que era NBC) aposentado pendurado bem acima da bilheteria do museu. Além disso um enorme telão que mostrava nóticias famosas, coisas sobre o museu e algumas vezes filmava o público no Hall e projetava no enorme telão.

Hall de Entrada do Newseum

Optamos em visitar o museu de cima para baixo, para isso pegamos um enorme elevador todo feito em vidro, considerado um dos maiores elevadores de vidro do mundo (simbolo de transparência), e subimos até o sexto andar do museu onde iniciamos nossa visita ao Newseum.

Helicóptero Newseum

Antes de sua nova sede ser construída ao lado da embaixada do Canadá em Washington à cerca de 900 metros do Capitólio (sede do legislativo americano), o Newseum funcionou por cerca de 5 anos em Rosslyn na Virgínia. A suntuosa nova sede do museu foi construída com recursos angariados pelo Fórum da Liberdade, cujos doadores incluem pesos pesados da mídia americana como News Corp, a Disney Pulliams, o Hearsts, Time Warner, NBC Universal, a família Greenspun, e os Ochs- Sulzberger.

 Atrio Principal do Newseum

O grande barato deste museu é que, ao contrário de outros museus tradicionais, cujos curadores vêm coletando, aprimorando suas coleções ao longo de décadas ou séculos, o museu da notícia teve que “inventar” categorias, procurar artefatos relacionados as notícias para preencher essa verdadeira meca do jornalismo nos últimos 10 anos. Para isso ele usa e abusa da interatividade, são mais de 130 televisões touch screen espalhadas pelo museu.

Notícia em 100 diferentes Línguas

Falando em interatividade, em que outro lugar no mundo você pode em frente a uma tela touch screen de 42” ver as primeiras capas dos principais jornais do mundo?!?.. Para ter uma ídeia fizemos uma busca rápida pelas capas de jornais do Brasil e todos, absolutante todos os jornais que costumava ver / ler no Brasil estavam lá: A Notícia (Joinville), Diário Catarinense (Florianópolis), Zero Hora (Porto Alegre), Folha de SP e Estadão (São Paulo), o Globo (Rio de Janeiro) e assim vai… O máximo, e tudo isso ao toque do seus dedos.

Capas de Jornais Brasileiros na tela Touch Screen

Já no último andar do museu, começamos a explorar o museu visitando o Hank Greenspun Terrace. Um terraço que oferece uma vista panorâmica privilegiada de Washington e de uma das ruas mais famosas nos Estados Unidos a Pennsylvania Avenue (Caminho por onde o Presidente passa para tomar posse no capitólio e em funerais como o de JFK).

Terraço Hank Greenspun na Pennsylvania Avenue

 A visão engloba monumentos e marcos históricos da história americana, incluindo o Capitólio dos EUA, a National Gallery of Art, o Arquivo Nacional e o Monumento de Washington. Lá aproveitamos para tirar uma foto com @afmarques nossa amiga do twitter que estava na cidade para um congresso.

2 Dia da Mini ConVnVenção em Washington

Dali seguimos então para uma impressionante exposição temporária que marca os 5 anos do furacão Katrinaque atingiu a costa do Mississippi / Louisiana e deixou cerca de 80 por cento da cidade de New Orleans debaixo d’água. Além de todo o estrago material de alguns bilhões de dólares a catastrofe causou a morte de mais de 1.800 pessoas em Agosto / Setembro de 2005. Esta é uma exposição temporária que permanecerá aberta ao público até o dia 18 de Setembro de 2011.

Exposição dos 5 anos pós Katrina

A exposição relata através de jornais, objetos e vídeos, os dramáticos momentos e experiências vividos por profissionais da mídia na “Cobertura do Katrina”. Além de contar a história sob a ótica dos reporters que cobriam o desastre a exposição examina o papel da mídia americana em cobrir em tempo real as horríveis condições e as dificuldades na obtenção de assistência que os moradores da região enfrentaram na área devastada pelo furacão.

Capa de um Jornal durante o Katrina

Coincidentemente a @afmarques que estava visitando o museu conosco, tinha acabado de chegar de alguns dias em New Orleans. E relatou que nas áreas mais afetadas pelo furacão ainda é possivel ver os reflexos daquela tempestade. De fato muito impressionante, principalmente pelos objetos e imagens ali expostos.

Katrina 5 anos da tragédia

Descendo para o quinto andar, visitamos uma das minhas exposições favoritas. Entitulada de a História da notícia, esta exposição apresenta boa parte da história da humanidade desde o surgimento da imprensa no século XV na Alemanha, até os dias de hoje. Ou seja quase meio milênio de história.

A história em jornais antigos

Além disso, nesta galeria podemos observar uma página da bíblia original de Guttemberg, um dos primeiros documentos impressos da humanidade. Mas o grande destaque fica por conta  do que poderia chamar de gavetas da história.

Biblia de Guttemberg

Estas “gavetas da história” são caixas de vidro, as quais contêm capas de jornais/revistas desde o século XV até acontecimentos recentes como o terremoto do Haiti. (Em breve o terremoto /tsunami do Japão estará lá também).

Gavetas da História da Humanidade

Impressionante, para não dizer outra coisa.. Muitos destes jornais / manchetes são voltados a história americana, mas não por isso menos interessante. Capas de Jornal falando sobre o terremoto que destruiu San Francisco em 1906, ou o grande incêndio de Chicago, ou ainda o assassinato de presidentes, guerras, atentados, são algum destes documentos históricos de valor inestimável expostos ao público nesta galeria.

Terremoto em San Francisco em 1906

Imagine num só lugar ver o jornal publicado em 1776 falando sobre a independência dos EUA, ou o jornal falando sobre a chegada do Homem à Lua. Ou ainda eventos como a acensão de Hitler ao Poder, inicio da perseguição aos judeus, passando pelo lançamento da bomba atômica sobre o Japão, criação das Nações Unidas, Crises do tempo da guerra fria, queda do muro de Berlin… Tudo isso disposto em ordem cronológica é algo que não tem preço. Além de extremamente ditático. Se tivesse tempo poderia facilmente ficar ali quase um dia inteiro viajando pela história “recente” da humanidade.. Infelizmente como tinhamos até o meio dia seguimos adiante.

II Guerra Mundial através de Noticias de Jornal

Descemos as escadas até o quarto andar, onde está uma das exposições permanentes mais tocantes do Newseum. A exposição que explora os terríveis acontecimentos de 11 de setembro de 2001, e os extraordinários desafios que enfrentaram os jornalistas ao tentar cobrir o atentado num dos acontecimentos mais funestos deste século. E que certamente mudou este país para sempre.

Cronologia dos Ataques de 11 de Setembro

A galeria inclui uma homenagem ao fotógrafo William Biggart – um jornalista que morreu no World Trade Center cobrindo os ataques – e algumas de suas últimas fotografias que tirou antes de morrer. Muito triste ver sua câmera quase que totalmente destruída ali atrás de um vidro.

Um dos Jornais noticiando o atentado

 Ali também estão expostas as primeiras páginas de jornais de todo o mundo com a repercussão que os atentados de 11 de setembro tiveram, além de vários vídeos da cobertura jornalistica daquele fatídico dia.

Capas de Jornais do dia 12/11/2001

 O objeto central da exposição alí é uma parte do que sobrou de uma das antenas que ficava no alto de uma das torres o WTC destruídas naquele dia. Impressionante também, a sequencia cronológica dos fatos expostas no diagrama ao redor desta antena. Lembro como se fosse ontem deste dia… Imaginar que já se passaram quase 10 anos..

Restos da Antena de uma das torres do WTC

Neste mesmo pavimento está também localizada a galeria da Primeira Emenda Constitucional dos EUA – Bill of Rights. As 45 palavras as quais garantiram a partir de 15 de dezembro de 1791, pela primeira vez na história da humanidade, as cinco liberdades fundamentais. Considerados por muitos como os “grandes direitos da humanidade” e símbolo da liberdade dos EUA capaz de justificar as guerras que o país se meteu desde então…

Exposição Direitos Fundamentais dos EUA

Esta galeria explora o papel que esta garantia de direitos tem desempenhado na expansão da liberdade e justiça nos Estados Unidos e no mundo, colocando cada uma das cinco liberdades no contexto histórico e dando a perspectiva sobre o que eles significam para nós até hoje, 220 anos depois de criadas.

Declaração EUA

Descendo para o terceiro andar do museu, outra exposição interessantíssima, e chocante ao mesmo tempo.. Com uma caminhonete blindada cravejada por balas e o vidro trincado pelo que imagino ter sido uma bazuca.  Esta exposição entitulada de Notícia, Liberdade de imprensa ao redor do globo mostra os desafios do cotidiano que os jornalistas enfrentam ao redor do mundo, como intimidações, censura e as condições de perigo de vida.

Carro de Reportagem metralhado

Uma das coisa que me chamou bastante atenção nesta galeria, foi um enorme mapa mundi ilustrando as diferenças na liberdade de imprensa ao redor do mundo. O Brasil está em amarelo, enquanto países como Chad e Gana na África estão em verde.. Curioso.. A verdade é que liberdade de imprensa e expressão é algo que praticamente inexistente na Ásia e África.

Liberdade de Expressão e Imprensa no Mundo

Ao lado fica um memorial com nome de jornalistas que perderam suas vidas durante o exercício da sua profissão, mas como o tempo era curto nem prestamos muita atenção e seguimos adiante.

Placa Alvejada à tiros guerra do Kosovo

Neste mesmo pavimento uma outra exposição aborda o desenvolvimento do Rádio, da TV e Internet. E como o desenvolvimento da tecnologia melhorou, a velocidade da difusão das notícias. Primeiro, foi a rádio, levando o som das notícias simultaneamente a milhares de ouvintes por longas distâncias. Depois a televisão, incorporando o sentido da visão causando ainda mais impacto com imagens em movimento, inicialmente em preto e branco depois colorida até chegar à era digital.

Evolução do Rádio e TV

E por fim a Internet, que coloca definitivamente o poder da mídia de massa nas mãos do público. Nessa parte da história entram os Blogs, o Twitter enfim em outras palavras um pouco do conceito que os #outros500 têm buscando aliar estas 3 correntes numa outra forma de comunicação e interação com o público.

Midia nos EUA

No terceiro pavimento também está localizado o Knight Studio, o qual é utilizado em Programas da CNN e ABC com correspondentes políticos como John King e Amapour. Afinal a vista dali dá direto para o Capitólio. É possivel até mesmo assistir a um destes programas num dos 120 assentos disponíveis ao público neste estúdio. Infelizmente não tinhamos tempo para o programa das 15:00..

Estúdio de TV dentro do Newseum

John King Live direto do Knight Studio no Newseum by CNN

Como nosso tempo era curto, seguimos diretamente para a exposição com as fotografias ganhadoras do prêmio Pulitzer. Muitas delas, fotografias que reconhecemos de longe ..

Fotos Premiadas pelo prêmio Pulitzer

Infelizmente muitas delas são realmente impactantes, um verdadeiro choque de realidade. Ver toda aquela miséria humana, fome, desepero é muito triste, mas como diz a frase de um dos ganhadores do prêmio Eddie Adams : If it makes you laugh, if it makes you cry, if it ripes out your heart, that’s a good picture. Então todas as fotos ali expostas são boas fotos.

Premio Pulitzer – Um dos maiores prêmios do Jornalismo Internacional

Desta forma nos despedimos do Newseum, um museu que apesar do preço salgado mesmo com o desconto de aniversário surpreendeu muito. Como tinhamos pouco tempo não chegamos a visitar a exposição permanente sobre o Muro de Berlim, por falar nele é neste museu que se encontra o maior pedaço deste gigante que dividiu a cidade por 28 anos fora da Alemanha. Que além de muito material interativo e pedaços inteiros do muro conta até mesmo com uma das torres de observação do lado Oriental da cidade que ficava próxima ao Check-Point Charlie.

 Exposição sobre o Muro de Berlim

Veja Também:

Primeira página dos principais jornais do Mundo hoje

Endereço:

Newseum

555 Pennsylvania Ave., N.W.
Washington, DC 20001
 
 

Posts Relacionados:

 Mini ConVnVenção na capital dos EUA
 
  Berlin – 20 Anos após a queda do Muro
 
 Cerejeiras de Washington DC – O espetáculo da Cherry Blossom
 
 

Índice com todos os Posts do MauOscar

<= Clique na Logo

Siga o MauOscar.com também no:

No Comments
  1. Que máximo que vocês puderam aproveitar!!!! O museu é mesmo fantástico né? Todo mundo que vai adora!

  2. MauOscar says

    Adoramos…. Poderia ser gratuito como os outros.. Mas valeu cada centavo 😀 Obrigado pela dica… Pena que você não pode ir com a gente :$

    Bj

  3. carlos eduardo nascimento says

    muito bom. salvo a informação do mapa que fala de liberdade de imprensa. os EUA deviam ser pintado de vermelho porque mais grave que a falta de liberdade e a conivencia com o poder constituido.

    1. MauOscar says

      Carlos Eduardo Nascimento

      Pois é… os EUA é um país muito hipócrita em vários sentidos, mas fazer o que…

  4. Raul says

    Sem dúvida um dos posts mais interessantes Oscar…

    1. MauOscar says

      Raul

      Adoramos o Museu… Gostaria tanto que você pudesse vir nos visitar para você poder conhecer estas coisas

  5. […] local do evento não podia ter sido melhor. O Newseum, que é o Museu da Notícia  fica numa localização privilegiada, com essa vista abaixo, do Capitólio, museus do National […]

  6. Sultana says

    Pfv, poderiam me passar mais informaçoes sobre o Museu, pois estou utilizando o Newseum como estudo de caso para um trabalho da faculdade.

    1. MauOscar says

      Sultana

      Entre na Home Page no Museu que lá você encontrará mais informações sobre o local.. http://www.newseum.org/

  7. […]  Newseum – O Museu da Notícia de Washington DC […]

  8. wilsom santos da silva says

    Muito bom

    1. Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens says

      Obrigado pelo Feed Back

Leave A Reply

Your email address will not be published.