Dicas e Relatos de viagens ao redor do mundo

Vinhos Napa Valley – Rubicon Estate e os Vinhos de Francis Ford Coppola

18

Continuando nossa viagem pelas vinícolas do Napa Valley na Califórnia, depois de visitarmos a moderna vinícola Artesa, seguimos para a Rubicon Estate, uma das vinícolas mais tradicionais e conhecidas de todo o Napa Valley e que esta localizada na AVA Rutherford na porção central do Vale do Rio Napa.

Entrada da Rubicon Estate

Como neste segundo dia no Napa Valley não estava dirigindo, pude realmente aproveitar o tour enológico e tomando tanto os meus vinhos como os do Maurício, uma vez que ele era o “Designated Driver” do dia e só podia dar uma “bicadinha” para experimentar e passar a taça para mim. Tenho que dizer que logo na primeira vinícola do dia já estava ficando alegre, isso que era uma plena manhã de segunda-feira. Isso que o dia estava apenas começando…

AVA Rutherford

Mau e Oscar na Rubicon Estate

Chegamos à Rubicon Estate Winery em Rutherford por volta das 12:40. Estacionamos o carro e seguimos com o papel de nossa reserva, que fizemos com antecedência pela Internet, para o Elevage Tour as 13:00 na concierge da vinícola para confirmar nosso passeio vespertino.

Placa na Entrada da Vinícola

Além de super bem atendidos, a primeira surpresa do tour foi ganhar um passaporte de verdade, uma cadernetinha verde que alem de ter a palavra Passaport estampada na capa tem diversas páginas que contam um pouco da história da vinícola e onde você pode ainda fazer anotações sobre os vinhos degustados ao longo do tour. Achamos a idéia super original.

Passaporte Rubicon Estate

Enquanto o tour não começava aproveitamos para dar uma volta pelas áreas comuns da belíssima propriedade. No horário previsto nós e mais 5 pessoas fomos recebidas pelo nosso guia e iniciamos o passeio pela Rubicon Estate.

Vitral no Inglennok Chateau

Para quem não sabe, seu atual proprietário, até hoje talvez seja muito mais conhecido por seu trabalho como cineasta, do que como produtor de vinhos. Trata-se do prestigiado cineasta norte-americano Francis Ford Coppola , que na década de 70 resolveu seguir os passos de seus ascendentes, os quais produziam vinhos no porão de casa na Itália, e entrou no ramo da Vitivinicultura na Califórnia .

Carroça Napa Valley

Graças ao sucesso como cineasta e com muito mais dinheiro que seus ascendentes, o cineasta, em 1975, comprou um pedaço da Inglenook Estate. Uma histórica propriedade vinícola no Napa Valley, que foi fundada em 1879 por Gustave Niebaum, um capitão de navios de origem finlandesa, o qual fez fortuna comercializando peles do Alaska e que resolveu se aposentar e estabelecendo-se na Califórnia, onde descobriu o potencial vinícola do Napa Valley e se tornou vinicultor.

Uvas Cabernet Sauvignon em Rutherford – Napa Valley

A então Inglenook Winery criada por Niebaum tinha intenção de produzir vinhos que fossem capazes de rivalizar com os vinhos franceses daquele tempo. Segundo nosso guia Niebaum buscava a perfeição e não economizou esforços nem dinheiro em conseguir as melhores videiras, plantando varietals nobres e construindo o Chateau Inglenook, uma verdadeira maravilha da engenharia para aquele tempo.

Chateau Inglenook – Rubicon Estate 

A reputação de vinícola de vinhos finos e de qualidade continuou mesmo após a morte de Niebaum sob a responsabilidade de seu sobrinho-neto John Daniel Jr. que durante cerca de 30 anos produziu os melhores Cabernet Sauvignon do Napa Valley. Tanto que em o 1941 Inglenook Cabernet Sauvignon foi eleito um dos 10 melhores vinhos do mundo.

Interior de uma das salas de degustação

 No entanto em 1964 a vinícola e o chateau foram vendidos para uma grande multinacional e caiu no ostracismo até ser comprada pelo famoso diretor de cinema Francis Ford Coppola e sua esposa Eleanor Coppola em 1975, quando então foi rebatizada e passou a se chamar Niebaum-Coppola Winery. E alguns anos mais tarde, lançou a primeira safra comercial de vinhos com o seu nome, oriundos de suas terras no Napa Valley na Califórnia.

Vitral nas escadarias da Rubicon Estate

Vinte anos mais tarde em 1995, ainda mais rico, Coppola adquiriu o quinhão que lhe  faltava da Inglenook Winery original e passou a restaurar os vinhedos e suas construções, entre elas o grandioso Château Inglenook.

Interior da sala de degustação da Rubicon Estate

E desde 2006, a vinícola passou a chamar-se Rubicon Estate e é hoje uma das mais visitadas atrações turísticas do Napa Valley, que além de vinícola é um verdadeiro museu recheado de memorabilia dos filmes de Copolla, incluindo um carro antigo utilizado no “O poderoso chefão”, bem como a escrivaninha de Vito Corleone entre vários outros objetos.

Carro do Poderoso Chefão

Atualmente, a Rubicon Estate conta com cerca de 130 hectares de área plantada e produz cerca de 600 mil garrafas ao ano. Ao comprar seus últimos hectares, em 2002, bateu um recorde local ao pagar cerca de 988 mil dólares por hectare. E de quebra, também arrematou outra vinícola californiana, o Château Souverain, no Alexander Valley em Sonoma County, onde hoje está a outra vinícola de Coppola, a Francis Coppola Presents , vinícola a qual produz vinhos de boa qualidade porém com preços mais acessíveis entre eles o da linha Diamond Series, a qual podemos encontrar até mesmo no Cotsco aqui em Delaware.

Vinho Blancaneaux, O vinho de boas vindas ao tour Elevage

A vinícola oferece várias opções de visita, mas como optamos pelo tour “elevage”, o mais completo e mais caro dentro das opções oferecidas para visitantes normais, começamos a visita por onde tudo de fato começa. Ou seja fomos ver as videiras no campo.

Parreiral na Rubicon Estate em Rutherford/Napa Valley

Como já mencionei em Posts anteriores em 2010 a vindima no Napa Valley atrasou por conta do verão mais frio atípico na região. Mesmo não vendo a colheita e o processamento das uvas e produção do vinho acontecendo, pelo menos tivemos a chance de ver os cachos de uvas quase maduros para a colheita.

Uvas Cabernet Sauvignon em maturação

Toda as uvas utilizadas na Rubicon Estate são da AVA Rutherford, localizada no centro geográfico e histórico do Napa Valley. Trata-se de um Terroir com uma combinação única de solos aluviais e vulcânicos que propiciam condições ideais para a produção de vinhos Cabernert Sauvignon com a característica de serem equilibrados, vivos, condimentados e densos.

Videiras em Rutherford

A Rubicon Estate Winery dedica-se a produção de Vinhos Cabernet de origem histórica. Niebaum trouxe as primeiras videiras da França em 1880, e este material propagativo é até hoje a base genética das videiras utilizadas até hoje pela vinícola. Que se não em falha a memória é constituida de 7 diferentes clones.

Detalhe da identificação do Pparreiral

Depois de mais de 120 anos cultivando continuamente este material, a Universidade de Davis na Califórnia  certificou o Clone #29 como Cabernet Sauvignon Heritage Clone. O qual é amplamente utilizado para a produção dos melhores e mais caros vinhos produzidos na vinícola.

Parreira frutificando

Depois de visitarmos os parreirais, seguimos em direção ao interior da vinícola. Interessante observar ainda que haviam diversas oliveiras que foram plantadas a quase um século no local e parecem ter se adaptado muito bem ao clima da região.

Oliveiras no Napa Valley

O primeiro ambiente que visitamos foi a área de recepção/debulhamentos das uvas. Nesta sala haviam diversas pipas de madeira, muitas delas apenas decorativas e de grande valor histórico.

Porta de Entrada na vinícola

Depois passamos a área onde acontece a primeira fermentação do mosto, onde as uvas são fermentadas inteiras em um processo semelhante ao da Artesa e depois são prensadas produzindo assim o vinho que será colocado nos barris e carvalho para o envelhecimento. Como a colheita não estava acontecendo ambas as áreas estavam tranquilas sem grande movimentação.

Pipas usadas na produção de vinhos na Rubicon Estate

Pipas

Dando continuidade a nosso tour seguimos para as cavas onde ficam os barris de carvalho, estes por sinal oriundos de florestas francesas e americanas. Uma das coisas que me chamou atenção foi o fato que parte do carvalho utilizado em barris de carvalho americano são da Pennsylvania.

Envelhecimeno vinhos Rubicon Estate

A área de envelhecimento de vinhos da Rubicon Estate lembra um grande túnel, é notória a diferença de temperatura desta área comparada com a área externa da vinícola. Nesta parte aprendemos um pouco sobre o processo de envelhecimento do vinho, a seleção de barris entre outras coisas.

Vinhos passando pelo envelhecimento em barris de Carvalho

Terminando o tour qua já se extendia por quase 1 hora e meia chegamos a melhor parte, a degustação dos famosos vinhos da Rubicon Estate. Ao chegar ao local onde teriamos a degustação encontramos uma grande mesa rústica de madeira repleta de taças e diversas opções de queijos para acompanhar.

Mesa para a Degustação de Vinhos

Mesa da degustação

O mais legal desta degustação foi o fato de experimentarmos apenas 2 vinhos Cabernet Sauvignon.. Porém de uma forma totalmente diferenciada. Apesar de serem apenas dois 2 vinhos,o Cabernet Rubicon e o CASK Cabernet, provamos eles de diferentes procedências do barril em que foi envelhecido (Carvalho Francês x Carvalho Americano) bem como provando o vinho tirado diretamente do barril bem como o vinho das diferentes procedências de carvalho já engarrafados.

Queijos e Vinhos.. Tem algo melhor do que isso?

Ou seja ao todo foram 8 amostras de vinhos, no meu caso praticamente 16, já que o Mau não podia beber.. Moral da história não preciso nem falar em que estado me encontrava ao final do tour…Até porque não haviamos almoçado..

Tin-Tin

Outro agravante para a situação foi o fato de saber que cada garrafa deste vinho custava quase 100 USD não pude recusar alguns top-ups daqueles que havia mais gostado. Não sei mais dizer se era pelo ambiente, pela experiencia de estar tomando vinho tirado diretamente do barril para a taça.. Mas estes foram talvez os melhores vinhos Cabernet Sauvignon que já tomei na vida.

Area de Degustação

Enfim o que consigo de fato lembrar, é que os vinhos tirados diretamente do barril para a taça eram extremamente fortes e encorpados comparados com seus homônimos engarrafados. De uma forma geral os vinhos envelhecidos em carvalho francês me pareciam mais suaves que aqueles envelhecidos em carvalho americano. A verdade era que neste ponto já estava dificil lembrar muita coisa. Nem minhas anotações no meu passaporte Rubicon consegui fazer.

Vinho direto do barril para a taça

Barris de Carvalho

Terminamos o tour e a degustação e mesmo o Mau que ficou só nas “bicadinhas” também acabou bebendo mais do que realmente deveria. Aproveitamos para pegar alguns chocolates e bolachas que estavam no carro para ajudar a cortar o efeito do álcool. No meu caso obviamente não resolveu nada.. Ficamos mais uns 40 minutos perambulando a vinícola, até o nível de  álcool se normalizar e assim podermos seguir adiante.

Degustação de Vinhos

Toneis históricos

Tenho que dizer que a experiência “etílica” na Rubicon Estate Winery foi de longe a melhor de todas que tivemos no Napa Valley. Embora todas as outras visitas tenham tido suas peculiaridades que no final das contas acabaram se completando de tal forma que hoje podemos dizer que somos verdadeiros fãs do enoturismo. Até esta viagem pela Califórnia nossa viagem favorita havia sido para região dos Cannyons, Gramado/Canela e região dos vinhedos do RS.

Rubicon Estate e o Inglenook Chateau

Enfim a Rubicon Estate em minha opinião é uma das vinícolas que de fato valem à pena cacifar o “tour elevage” como diria o @RiqFreire . Isso porque graças a fama do próprio Francis Ford Coppola e a excelente qualidade de seus vinhos , o prestígio da vinícola de Coppola não pára de crescer. Esta não é uma vinícola qualquer, os vinhos ali produzidos em quantidades limitadas e feitos com uvas de cultivo orgânico e são amplamente aclamados pela crítica especializada como uma das melhores vinícolas da Califórnia.

Chafariz

Porém como já era de se esperar os preços dos vinhos e dos tours também são digamos indigestos. Mas mesmo assim, mesmo que seja uma passada no local para conhecer o chateau e fazer a degustação mais simples para conhecer a propriedade já esta valendo.

Bar degustação Napa Valley

Informações úteis:

 

Rubicon Estate Winery

Tours

Existem 4 modalidades de tours na vinícola

Custam de 25 USD a 75 USD por pessoa

Duram aproximadamente de 30 minutos até 120 minutos dependendo do tour escolhido

 

Degustação

A degustação abre das 10:00 às 17:00, sem necessidade de reservas

O Custo é de 25 USD por pessoa e dá direito a conhecer o Inglenook Chateau

Endereço

Rubicon Estate

1991 St. Helena Highway

Rutherford, CA 94573

 Rubicon Estate no Twitter

 

Veja Também:

 

Para facilitar a vizualização das vinícolas e das atrações que comentei ao longo destes 11 Posts sobre o Napa Valley criei um Mapa no Googlemaps para ajudar no planejamento de quem pretende visitar esta região. Aqueles lugares que visitamos e que estão publicados na forma de Posts aqui no MauOscar estão com o logo do Blog. Aqueles com a taça são outras vinícolas que gostariamos, caso tivessemos mais tempo ter tido a chance de visitar. Enfim basta seguir a legenda. Tin-Tin

Clique no Mapa para ir para o Googlemaps

Todos os Posts da Série Napa Valley:

 Guia Vinícolas Napa Valley EUA – Post Resumo

 Napa Valley – Os melhores dos vinhos dos EUA estão aqui!! 

 Espumantes de Napa Valley – Domaine Carneros

 Espumantes de Napa Valley – Domaine Chandon

 Vinícola V. Sattui em St. Helena – Napa Valley

 Espumantes de Napa Valley – Mumm Napa

 Vinhos Napa Valley – Vinícola Artesa

 Vinhos Napa Valley – Rubicon Estate e os Vinhos de Francis Ford Coppola 

 Vinhos Napa Valley – Castello di Amorosa

 Visitando uma Floresta de Sequóias Petrificadas

 Tanoaria: Como os Barris de Carvalho são Produzidos

 

Posts Relacionados:

 Highway 1 na California: De San Francisco até Santa Cruz

 Sequóias na Califórnia – Uma floresta de gigantes 

 Bento Gonçalves Capital Brasileira dos Vinhos

Índice com todos os Posts do MauOscar

<= Clique na Logo

Siga o MauOscar.com também no:

18 Comments
  1. Mirella says

    Essa vinícola é muito legal mesmo … nós a também visitamos, mas não fizemos o tour (escolhemos a Moldavi) 🙂
    As fotos estão lindas e o post completíssimo (as usual eheheh).
    bjks

  2. Angie says

    Adorei o passeio pelo seu post 🙂 Vinho é tudo de booooooom 🙂 Beijocas, Angie

  3. Mauoscar says

    Mirella

    Nós acabamos não conhecendo a Robert Mondavi por falta de tempo em fazer um tour.. Mas acho que todas as vinícolas que visitamos completeram uma à outra… Precisaria mais uns 3 dias no Napa Valley para visitar tudo o que gostaria.. E preparar o bolso..
    Obrigado pelos elogios

    Bjkas

  4. Mauoscar says

    Angie…

    Eu acho que nunca bebi tanto vinho na vida como neste dia!!! Pior de tudo era uma segunda-feira… rsrsrs
    Bjos

  5. Jenny says

    Muito bacana este post, muita informacao preciosa para os viajantes de plantao e apreciadores do bom vinho. Bjos

  6. Raul says

    Viu Oscar, eles não tem problemas com pragas nos parreirais? Apenas 7 clones me parece ser pouco, me corrija se estiver errado..

    Observação: muito engraçado ver você no início das fotos e o estado etílico nível ocktoberfest no final.

  7. Mauoscar says

    De fato são poucos clones.. Mas na vitivinicultura isso e normal… Por isso inclusive que a calda bordalesa foi inventada na frança.. Justamente para ser utilizada nos parreirais.. No Napa Valley eles tem problemas com a Filoxera.. Ate poderia fazer um Post sobre isso.. mas ai parece mais aula de protecao do que um Blog de viagem…
    Boneco… Eu nunca bebi tanto como neste dia!!! rsrs

  8. Raul says

    Duvido que alguem fora eu entenda o post relativo a Proteção, hahaha, mas ia ser engraçado.

  9. […] quais a Domaine Carneros, Domaine Chandon, Mumm Napa Valley, Vinícola V. Satuii, Vinícola Artesa, Rubicon Estate e Castello di Amorosa tivemos o prazer de conhecer nesta passagem pela […]

  10. Adriane Lima says

    oie!
    Finalmente postei sobre a Rubicon e botei seu link lá!
    Inté!

    1. Mauoscar says

      Oi Adriane
      Valeu!!! Ontem descobri seu Twitter e virei seu Follower!!!
      E que legal saber que estava acontecendo uma ConVnVção Baiana 😀
      Bjs

  11. Gustavo Bonelli says

    Otimo post! Estou indo com a minha mulher em abril e estava na duvida sobre qual tour da Rubicon escolher mas agora ja decidi. Vou de Elevage! 🙂 Abs e parabens!

    1. MauOscar says

      Gustavo

      Super recomendo… Na minha opinião uma das melhores experiências enológicas em nossa viagem pelo Napa Valley

      Abraço e volte sempre

  12. Diana says

    Olá! Depois de ler esse post, decidi a primeira vinícola que certamente visitarei com meu marido e meus pais: Rubicon Estate. Vamos em um passeio de um dia apenas, um ‘bate e volta’ de São Francisco. Meu pai, que ama vinhos, infelizmente não fala inglês. Você acha que qual tour vale mais a pena (considerando que estaremos com menos tempo): o inglenook ou o elevage? Muito obrigada pela atenção!

    1. Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens says

      Diana

      Nós fizemos apenas o elevage então não sei a dinâmica do outro tour. Se seu pai ama/entende um pouco de vinhos super recomendo (mesmo sem falar inglês se alguém puder traduzir algumas coisas). Já visitei algumas vinícolas por aí e nunca tinha tido a chance de degustar vinho diretamente do barril e comparar com o mesmo vinho já engarrafado e com alguns meses em repouso.

      1. Diana says

        Agradeço mto a atenção! Acabei reservando o Inglenook… Parece ser bem completo também, mas um pouquinho mais rápido… Como no nosso caso é um “bate e volta”, preferi. Depois eu conto aqui!

        1. Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens says

          Legal!! Vou ficar esperando para saber como foi 😀

  13. Alessandra says

    Adorei seu post.
    Estou indo com meu marido e 4 amigos para San Francisco.
    Como você fez para fazer a reserva? Estou com dificuldades para entrar em contato com eles.
    Obrigada!

Leave A Reply

Your email address will not be published.