Dicas e Relatos de viagens ao redor do mundo

Problemas na Imigração dos EUA

27

Depois de 11 excelentes dias em Londres na Inglaterra, chegou a hora de retornamos para nossa casa “temporária” nos EUA. Como sempre, todas as vezes que entramos no país nosso processo de admissão pela imigração pelo fato de sermos parceiros do mesmo sexo sempre é mais complicado.

Sempre, antes de sairmos do país, solicitamos uma carta da advogada que nos auxiliou no processo de concessão do meu visto em especial. Além disso, sempre levamos uma cópia de todo o processo para qualquer problema que possa aparecer em nosso retorno para casa.

Desta vez, retormamos para os EUA pelo aeroporto de Newark (EWR). Fomos juntos no balcão da imigração para facilitar o processo, o Mau por possuir o visto do tipo L1 não teve maiores problemas em retornar ao país. Depois de tirar as digitais a fotografia ele recebeu o carimbo de readmissão no país. Até ai tudo bem.

Em seguida foi minha vez, tudo parecia transcorrer sem maiores problemas, tirei as tais digitais, a foto. A oficial já tinha até mesmo carimbado o I-94 (Papel Branco que preenchemos durante o vôo) quando então pediu para acompanhá-la na temível salinha da imigração.

Até então estava tranquilo, na tal salinha haviam mais duas pessoas aguardando serem atendidas, obviamente de origem árabe/muçulmana. Pois bem aguardei cerca de 20 minutos que pareciam uma eternidade até outro oficial me chamar. Nisso ainda chegou mais uma pessoa que ainda fora atendida na minha frente. Mas enfim..

Quando ele me chamou começou a fazer aquelas perguntas básicas da imigração americana. Quanto tempo já estava nos EUA, de onde eu estava chegando etc.. Quando começei a explicar o contexto do meu visto do tipo B2 (teoricamente é de turismo/negócios com limite de permanência), mas como Co-Habitating Partners o visto B2 não tem período máximo de permanência nem mesmo limites de entrada e saída no país. Porém o oficial não deu muitos ouvidos.

Antes mesmo de terminar de tentar explicar para ele que vivia com meu parceiro ele diz que não poderia estar regressando ao país com este visto. Quando ele perguntou onde eu morava e eu disse que era em Delaware ele ficou ainda mais enfezado dizendo que com este visto não poderia morar nos EUA.

Nisso ele perguntou onde estava o meu parceiro, eu disse ele esta ali fora me aguardando. Ele então saiu e foi la fora falar com o Mau.  O Mau por sua vez repetiu toda a história que havia falado para ele, e depois de cerca de 5 minutos ele retornou…

Moral da história, neste interím peguei a carta da advogada para mostrar para ele que de fato tenho o direito garantido pelo governo americano de permanecer no país, pelo período em que o Mau tiver que trabalhar aqui. Quando tentei mostrar a carta para ele ele falou que não interessava… E que ele estava sendo “legal”e estaria me dando 3 meses de permanência no país.

De forma que pudesse organizar meu regresso ao meu país de origem… Na hora ainda tentei argumentar e ele falou… “Eu posso mandar você agora mesmo de volta para onde você veio…e você nunca mais poderá voltar para este país..”

Obviamente nesta hora a adrenalina estava a mil… Mas o bom senso fala mais alto nessas horas, como ele estava sendo “legal”e estava dando estes 3 meses fiquei quieto apesar de estar P.. da vida.. Nisso a infeliz criatura carimbava meu passaporte e anotava a minha data de saída do país..

Embora na própria página do Departamento de estado americano exista a seguinte informação:

Although accompanying partners may be issued B-2 visas to undertake stays of an extended duration, their initial period of admission may not be sufficient to accommodate their planned stay. USCIS regulations allow a maximum initial admission in B status of only one year, and most often USCIS grants B visitors an initial admission of six months. However, the initial period of admission is extendable in six months increments, and there is no absolute limit on the maximum length of stay available in B-2 status. Posts should use visa annotations to indicate the purpose and length of stay in such cases, as that will increase the likelihood that the inspector grants the maximum possible admission period on initial entry and will facilitate subsequent extensions.”

Nesta hora dá para imaginar o que estava passando pela minha cabeça.. Mas enfim no fundo apesar de super apreensivo estava tranquilo pelo fato de estar no meu direito.. Ganhei o meu passaporte de volta e apesar de tudo ainda agradeci a condecendencia em me conceder os 3 meses.

Obviamente fiquei com isso na cabeça a viagem toda de Newark até Delaware. Mas não havia muito o que pudesse ser feito naquela hora. Além disso estavamos super cansados da viagem e já eram quase 22:30. Detalhe o vôo chegou as 21:15.

No dia seguinte cedo escrevemos um e-mail para a nossa advogada que logo em seguida nos escreveu, solicitando informações detalhadas sobre o ocorrido. Entre eles o nome e/ou numero do carimbo utilizado por ele. Se o tal oficial em algum momento havia conversado com um superior ou não. Para que desta ela pudesse contactar o Diretor da Imigração no Aeroporto para maiores esclarecimentos. Num caso mais extremo ela disse que poderiamos apelar à uma TRIP (Traveler’s Resolution Claim).

Mas que era para ficarmos tranquilos que temos de fato o direito de permanecermos juntos aqui e segundo palavras dela o ocorrido foi uma anomalia. “I want to reiterate to you that this is an anomaly – Oscar does in fact have a right to be in the US with you while you are here on assignment”.

No final da tarde ela nos escreveu um e-mail dizendo que a situação esta parcialmente resolvida. Porém como a criatura colocou alguns códigos no sistema dizendo que não poderia extender minha permanência entre outras coisas, terei que retornar à imigração em Newark para retificar as informações no sistema.

Pelo menos agora temos o contato dos superiores da imigração, e na próxima Segunda-Feira (18/10) iremos encontrar o Diretor de Imigração do Aeroporto de Newark. Se quisessemos poderiamos encontrar o oficial que fez a “cagada” e até pedir um pedido de desculpas formal por parte dele. Mas sabe como é que funcionam essas coisas melhor não cutucar a onça com vara curta.

Mas enfim espero que esta tenha sido a última vez que isso acontece. Todos os americanos que falamos até agora aqui se mostram indignados com o comportamento deste oficial. A Chefe do Mau mesmo disse, depois a gente não entende porque somos tão odiados mundo afora… Com toda a razão!!!!

 Posts Relacionados:

  Chegada aos EUA

 Delta Airlines Nunca Mais

Índice com todos os Posts do MauOscar

<= Clique na Logo

Siga o MauOscar.com também no:

 

27 Comments
  1. Clarissa Comim says

    Uauu..Que trabalho vocês passaram! Pelo menos agora está tudo resolvido. 😉

    1. Mauoscar says

      Pelo menos não fui deportado… Mas que raiva viu… Pioe é ter que voltar ate o Aeroporto na Segunda… 2 horas para ir e 2 horas para voltar….

  2. carlos eduardo nascimento says

    concordo com o chefe do Mauricio. é por isso que queimam a bandeira americana em todo mundo. a arrogancia e prepotencias de algumas americanos é um absurdo

    1. Mauoscar says

      Isso é verdade… Infelizmente são uma minoria que acabam criando um esteriótipo para todos… Fazer o que!!!

  3. Luisa says

    Quanta incomodaçao! Acho que pra trabalhar nos aeroportos americanos è pre requisito ser arrogante e incapaz de analisar um caso que fuja um pouco do “tradicional”. Meu pai costuma dizer que è sò mudar a cor do capim que muita gente morreria de fome… O duro è quando uma mula dessas tem poder de decisao sobre a sua vida…
    Que bom que tudo foi resolvido!
    Bjs

    1. Mauoscar says

      Obrigado Luisa!!
      Concordo plenamente com o pensamento do seu pai… Vai ser assim limitado em outro lugar…..
      Bem Segunda – feira vamos descobrir se tudo de fato resolvido!!!
      Bjs

  4. Cidilan da Apresentação says

    Graças a Deus, que você conseguiu resolver essa problemática.
    Abraços, plugarianos.
    Até mais.

    1. Mauoscar says

      Obrigado pela mensagem de apoio Cidilan!!!

      Abraço

  5. Alessandra Mosquera says

    Oi Oscar, que coisa mais chata, a raiva deve ter sido enorme. Vc fez bem em ficar quieto, nessas horas, infelizmente, temos que agir assim pra ñ piorar as coisas. Espero que tudo acabe bem mesmo! E que isso não se repita mais. Dá muita raiva essas prepotências de policial!

    1. Mauoscar says

      Obrigado pela mensagem!!! A Raiva na hora era gigantesca.. Ate tudo estar de fato resolvido muitas coisas se passaram em nossa cabeça… Bem desde o inicio já sabiamos que não seria facil vivermos juntos.. Mas para dizer a verdade esperávamos que os EUA estivessem um pouco mais avançados neste quesito…

  6. Sílvia Oliveira says

    Deusolivre! Estou perplexa! Mesmo que tudo tenha se resolvido (apesar do saco que é ter de voltar ao aeroporto para finalizar as pendências) ainda assim fica um nó na garganta, uma vontade de dar um soco na cara desse energúmeno! Eu simplesmente passaria uma semana doente por causa disso. Sou muito correta e acho injustiça e falta de educação algo abominável! Muita sorte procêis!

    1. Mauoscar says

      Obrigado Silvia!!!

      Rezamos para que tudo se resolva e desta vezpar sempre!!! Felizmente tudo foi resolvido muito rapidamente.. Mas confesso que nunca fui muito fã dos EUA.. Quando essas coisas acontecem na imigração toda esta antipatia vem à tona novamente.. Eu prefiro a Europa mil vezes ao EUA… Todas as vezes que entrei na Europa nunca tive problema algum com a imigração!!!
      A Lista de coisas que não suporto dos americanos é grande.. Mas de uma forma geral estar morando aqui me serviu para aprender que nem todos são exatamente assim.. Mas infelizmente uma grande quantidade é exatamente como eu pensava.. Sm por nem tirar…

      O que mais nos deixa com raiva e fazer também tudo certo e ter esse tipo de problema.. Mas diz o ditado a Ignorância é a mãe de todos os defeitos..

  7. Mirella says

    Nem me fala… já tive um episódio parecido com esse na imigração americana e foi um inferno, mas no final deu tudo certo (amem!).
    Minha mãe tadinha, que nem falava inglês passou por uma ridícula também nos EUA… quando ela vai me visitar no canadá eu sempre escrevo uma cartinha basica explicando tudo (nome, idade, quanto tempo de permanecia, proposito da viagem, o que ela esta trazendo etc e tal) e sempre funcionou, ela só sorri para o oficial canadense e pronto eheheh…
    Mas em 2005, estavamos nos EUA e ela teve que passar pela amigável imigração americana e o cara simplesmente amassou e jogou no lixo o papel, pode? E ficava falando “speak… speak..” ehehehe… ela desesperada! Mas no final chamaram uma moça que falava espanhol e ela passou.
    Faz sentido??? no comments…
    bjs

    1. Mauoscar says

      Oi Mi..

      Nossa que ridiculo que fizeram com sua mãe… São essas coisas que me deixam furioso com este país… Essa prepotência e arrogancia em se achar a última bolacha do pacote….

      Bjs

  8. Lucia Malla says

    Olha, da última vez q reentrei os EUA o oficial carimbou meu passaporte errado – eles são humanos, tb cometem erros (mas aceitar isso, parece q são outros 500…). Felizmente eu percebi o erro e 2 dias depois estava lá, malla como sempre, batendo na porta do Homeland Security para corrigir a falha. Levou uma manhã inteira entre salinhas e guardas de imigração no aeroporto, mas no fim eles viram a besteira q fizeram e pediram desculpas oficiais, pelo menos.

    1. Mauoscar says

      Lúcia…
      Nem me fale.. Espero que essa novela seja resolvida amanhã!!!
      Também recebemos um pedido de desculpas.. Minha vontade era de apresentar as notas do pedágio e combustível para ir até o Aeroporto resolver essa pendência!!!

  9. Karol says

    Oscar, que absurdo!!!! Um pessoa dessa é uma pessoa infeliz e que quer descontar nos outros as frustrações que possui. Bem, meu querido, torço pra que vocês possam acertar tudo as soon as possible.
    Boa sorte!!!

    1. Mauoscar says

      Obrigado Karol!!!!

      Se Deus quiser tudo estará resolvido em breve!!! Mas que essa história dá uma raiva isso dá!!!

      Bjos

  10. Angie says

    Parabéns pelo sangue frio, porque nessa hora deve ter batido uma vontade louca de rodar a baiana!!! Ai que raiva!!! Mas que bom que, no final, tudo se resolveu!
    Beijocas,
    Angie

    1. Mauoscar says

      Oi Angie

      Quanto tempo!!! 😀 O Sangue frio foi realmente difícil de controlar.. Mas como com eles não se brinca… Respirei fundo para como vc disse não querer rodar a baiana!! Bem menos mal que as coisas parecem ter se ajeitado desta vez…
      Obrigado pela visita

      Bjos

  11. Lena says

    O post já está antigo e graças a Deus vocês já resolveram tudo, mas não pude deixar de me lembrar da única vez que tive problema em aeroporto: foi aqui mesmo, no Brasil!! E passei duas horas sentada na esteira aos prantos! Alguém teve que aparecer e falar: “pelo amor de Deus, manda essa mulher embora que tá pegando mal ela chorando aqui!”
    Não acho que tenha absolutamente nada a ver com nacionalidade e vocês,ainda bem, possuem equlíbrio e controle emocional para controlarem estas situações…
    Beijos 😉

    1. Mauoscar says

      Lena

      Só quem já sentiu isso na pele pode entender… Olha manter o equilíbrio e controle emocional numa situação destas não é tarefa fácil.. Felizmente apesar dos transtornos tudo se resolveu da melhor maneira possível!! 😀

  12. ernesto, o pato. says

    Só vi agora o post. Minha solidariedade a vcs…. E, fico pensando como será a discriminação aos mais pobres que não tem acesso a bons advogados, nem faalm bem ingles como vc.

    1. MauOscar says

      Ernesto

      O maior problema é a prepotência de alguns oficiais. Não existe um padrão no atendimento da imigração, é muito da sorte mesmo.. Nesta vez quando voltei de Londres quase fui deportado, agora voltando do Brasil 2 meses atrás foi tranqüilíssimo.. Mas quem não fala inglês e não tem respaldo jurídico certamente pode ficar em maus lençóis..

      Abraço

  13. Raquel says

    Eu estive Terça-feira no aeroporto JFK e me levaram para uma sala e já foram tirando fotos,digitais e sem mais nem menos cancelaram meu visto,e fiquei 12 horas sentada em um banco esperando pra voltar para o Brasil………..gostaria de saber se tem algo que posso fazer?

    1. Oscar Risch - MauOscar Blog de Viagens says

      Raquel

      Não sei cada caso é um caso. Você deve procurar entrar em contato com a embaixada para saber o que aconteceu e quem sabe até mesmo contratar um advogado

      Abs

  14. Priscila says

    Oscar,viajo todo ano para New York e fico 10 dias no máximo.
    Tenho problema com as minhas digitais que nao batem.
    Eles verificam por umas 6 vezes e nada acontece.
    Já fui 2 vezes para a sala onde ficam os barrados e depois deles verificarem meu passaporte
    Sou liberada.
    Vou viajar 5 de junho e ja estou preocupada.
    A quem devo procurar?

    Obrigada

    Prisla
    A

Leave A Reply

Your email address will not be published.