Dicas e Relatos de viagens ao redor do mundo

Independência dos EUA contada em Valley Forge

10

Aproveitando que o mês de Julho, mês de comemoração da independência dos EUA, pegamos o nosso carro num dos finais de semana e seguimos em direção ao Estado da Pennsylvania. A princípio não sabiamos exatamente o que esperar, mas lá fomos nós em direção a King of Prussia. Já havíamos escutado sobre um local chamado Valley Forge em suas imediações e decidimos ir lá conferir o que se tratava.

Mas afinal o que é isso? O Valley Forge é hoje uma área natural protegida de 1457 hectares que foi elevada ao status de Parque Histórico Nacional em 4 de Julho de 1976, e pode ser considerado como um dos locais historicamente mais importantes dos EUA. Afinal, foi neste lugar sob a direção do general George Washington que o exército continental com cerca de 12.000 homens se reuniu e treinou durante o inverno 1777-1778. O local recebe este nome em função das várias ferrarias que se localizavam ao longo do Vale do rio Valley Creek.

Assim que chegamos ao local, a boa notícia é que a entrada assim como o estacionamento são gratuitos. Estacionamos nosso carro e demos sorte de pegar um “Shuttle Bus”que liga os estacionamentos do parque ao centro de visitantes que estava mesmo passando pelo nosso estacionamento. E lá fomos nós, esse Shuttle Bus caiu feito uma luva, pois o calor estava absurdo.

O Centro de visitantes do parque é  local onde todo o visitante deve começar sua experiência no Valley Forge. O Centro conta com um museu e com uma série de voluntários especialistas que ajudam os visitantes a entender a história e ainda personalizar sua visita.

Como havia um trolley, uma espécie de trenzinho com visita guiada saindo em 10 minutos, tentamos comprar ingressos. Infelizmente, já estavam todos vendidos ou reservados. Porém, na última hora conseguimos 2 ingressos de pessoas que reservaram e não compareceram.

Saímos do centro de visitantes em direção a nossa primeira parada, um acampamento que recria como eram os alojamentos construídos para os soldados na época. Tudo feito com toras de madeira inteiras e empilhadas umas sobre as outras. Dentro destas “cabanas” viviam de 12 a 20 soldados naquele tempo.

Sob a sombra de uma árvore ao lado deste acampamento haviam dois voluntários trajados com o uniforme da época que além de demonstrarem as armas utilizadas na época, também contaram um pouco como era a vida dos soldados que ali viviam.

Seguimos o passeio adiante e a nossa guia foi explicando com detalhes um pouco mais da história do lugar que além de muitos fatos relacionados com a independência dos EUA, têm paisagens lindíssimas. Com muitos campos, florestas e onde até mesmo é possível se avistar alguns animais silvestres.

 Diz a história que a tomada da capital Philadelphia em setembro de 1777 pelo exército britânico foi um duro golpe no movimento separatista dos EUA, que acabou tendo que recuar para o interior. Nesta época a capital dos EUA fora transferida de Philadelphia para Lancaster (por um dia apenas) e posteriormente para York no interior da Pennsylvania mas, ainda sim as trezes colônias não desistiram da causa.

Com o inverno chegando e as perspectivas de retomar Philadelphia diminuindo com a chegada do Frio, o general George Washington passou a procurar acomodação para alocar temporariamente o exército continental.

Apesar de vários locais propostos, Washington acabou selecionando Valley Forge, por estar localizado à cerca de apenas 30 kilômetros de Philadelphia, de forma que pudesse monitorar os movimentos do exército britânico que havia vencido a batalha do Brandywine e tomado a capital Philadelphia.

O Valley Forge por sua vez, localizado ao noroeste de Philadelphia provou ser uma excelente escolha. Uma vez que o terreno elevado entre Mount Joy e áreas adjacentes combinadas com  o rio Schuylkill ao norte, tornou a área facilmente defensável e difícil de ser atacada. Uma área que estava perto o suficiente dos ingleses, mas longe o suficiente para deter a ameaça de ataques por parte dos britânicos.

Em Dezembro de 1777, quando o mal alimentado e mal equipado exército continental, cansado de longas marchas, finalmente começou a se fixar em Valley Forge, uma verdadeira corrida contra o tempo se iniciou com cerca de 12.000 soldados se preparando para a fúria do inverno que se aproximava dia após dia.

Os acampamentos e as linhas de defesa eram planejados e construídos a toda velocidade. Embora mais de mil barracas de abrigo tivessem sido construídas, a falta de espaço e a superlotação dos acampamentos eram críticas.

Dentro de seis semanas, todo o exército estava abrigado. A primeira cabana construída adequadamente apareceu em três dias. À medida que os acampamentos eram construídos, a madeira tinha que ser colhida cada vez mais longe lembrando que nesta época não existiam motoserras, tudo era feito apenas na base do machado e com o auxílio de animais.

Estas cabanas davam proteção suficiente contra o frio, mas o maior problema dentro destas cabanas eram as condições de umidade. Apesar dos relatos da época dizerem que este foi um inverno (1777-1778) com pouca neve, a alternância de congelamento e derretimento de neve e gelo tornava impossível de se manter as roupas e o ambiente seco. O que criou condições extremamente favoráveis ao aparecimento de doenças.

Se isso ainda não bastasse, os soldados ainda passavam fome e tinham problemas com o vestuário. Uma vez que as longas marchas tinham destruído não só suas roupas como também seus sapatos. As roupas esfarrapadas raramente eram substituídas. Cobertores também eram artigos escassos.

Desnutridos, mal vestidos e vivendo em cabanas superlotadas e úmidas, o exército continental foi devastado por doenças como a Febre Tifóide, Icterícia, Disenteria, Pneumonia que acabou vitimando mais de 2.000 homens naquele inverno. Isto é, mais soldados do que foram mortos nas batalhas do Brandywine e Germantown combinadas juntas.

Embora Washington repetidamente pedisse ajuda ao Congresso, este foi incapaz de fornecê-la, e os soldados continuaram a sofrer por muito tempo. No início da primavera as mulheres, parentes de soldados, passaram a fazer parte da vida em Valley Forge, auxiliando o exército em tarefas como lavanderia e de enfermagem que o exército precisava desesperadamente.

Estas mulheres e crianças também serviam, segundo nossa guia ,para fornecer apoio emocional para os soldados. Estas mulheres ganhavam metade das rações dos soldados e metade do salário de um soldado. Bem como passaram a receber meia-pensão após a guerra. Em Valley Forge existiam em média 1 mulher a cada 44 homens.

A partir de então, visando a melhoria da eficiência militar, moral e disciplina do exército, os soldados passaram a ser treinados. Esta tarefa de desenvolver e executar um programa de treinamento eficaz ficou sobre responsabilidade do Barão Friedrich von Steuben. Um general Prussiano, recém-chegado da Europa que incansavelmente treinou os soldados. Inclusive, em sua homenagem a cidade mais próxima ao Valley Forge se chama King of Prussia.

Seis meses após a chegada das tropas em Valley Forge, em junho de 1778 o exército continental levantou acampamento e passou a perseguir os britânicos, que estavam se movendo em direção a Nova York.

Pelo caminho passamos pelo Arco Memorial Nacional, construído em 1910 em homenagem aos oficiais e soldados da guerra de independência dos EUA. Por sinal, ele é inspirado no arco de Tito de Roma.

Pelas estradas que cortam o parque existem diversos monumentos construídos pelos estados que foram formados pelas 13 colônias, bem como estátuas de oficiais do exército continental.

Uma curiosidade interessante foi que durante a segunda guerra mundial a estátua de Friedrich von Steuben foi retirada do local, por se tratar de um Prussiano. Uma atitude digamos ridícula!! Nunca vamos saber mas se este general não tivesse treinado este exército será que os EUA não teriam perdido a guerra? Nunca iremos ter esta resposta, a verdade é que hoje passado este período este alemão é considerado fundamental para o sucesso de George Washington.

Por falar em George Washington, chegamos a conhecer a casa em que ele viveu neste período de 6 meses em Valley Forge. A casa era toda feita de pedra, super confortavel que em nenhum momento lembrava as cabanas de seus soldados e oficiais de baixa patente.

O Interessante deste lugar é que hoje toda a decoração remete ao tempo em que ele viveu lá. Onde podemos ver desde as roupas, os utensilios domésticos daquele que se tornou o primeiro presidente dos EUA. Lembrando que a maior parte dos utensílios ali expostos são originais.

Dali retornamos ao centro de visitantes do parque, onde ainda aproveitamos para dar uma olhada no museu, embora quase tudo que havia la para ser lido havia sido mencionado durante a visita guiada. A única diferença é que alí as coisas são ilustradas com gravuras ou objetos daquela época. Bem interessante também.

Dali aproveitamos para pegar nosso carro para irmos almoçar. Como já eram quase 3 horas da tarde os dois restaurantes de comida local recomendados pelos voluntários do parque já estavam fechados, acabamos indo a um restaurante Italiano bem abaixo das espectativas. Mas pelo menos pude carregar a bateria da maquina fotográfica que havia esquecido de carregar antes da viagem e acabou no meio do passeio do trolley. Nossa outra maquina também estava com pouca bateria mas salvou algumas fotos.

Depois do almoço retornamos ao parque, desta vez com bateria suficiente para tirar várias fotos legais. Desta vez fizemos boa parte do percurso de carro, utilizando o mapa do aplicativo do iPhone.

Nas ruas pouco movimentadas encontramos vários cervos e consegui tirar ótimas fotos deles.. Se o passeio já estava valendo pela aula de história, ver estes animais soltos e em relativa abundância transformou o passeio em impagável!!

Depois que fui descobrir que o Parque mantem uma população controlada de cerca de 1000 cervos dentro dos limites do mesmo. Eu adorei andar por trilhas no meio do mato e de quebra ainda ver estes animais, que num primeiro momento nem se assustavam com nossa presença. Mas à medida que íamos nos aproximando, eles caiam fora.

Acho que nunca tinha visto tantos “viadinhos”num só lugar. Até dois filhotes com a sua mãe com as pintas brancas em seu lombo. Como no filme do Bambi.

Assim como um jovem macho com sua galhada no meio do caminho.

Para finalizar ainda demos uma passadinha pela Washington Memorial Chapel na Rota 23 dentro dos limites do Parque. Uma igreja construída em homenagem a George Washington com uma riqueza de detalhes incriveis que incluem estatuas, entalhes e vitrais. Infelizmente acabamos perdendo o recital que acontece aos domingos às 2 da tarde nos meses de Junho e Julho.

E assim encerramos nossa visita ao Valley Forge, que deve ser magnífico durante o outono com todas as árvores com as folhas mudando de cor. Além de paisagens naturais, tem muita história para contar.  Valley Forge é a história de luta quase épica de um exército que para conseguir vencer o inimigo teve, antes de tudo, sobreviver contra terríveis dificuldades como a fome, frio, doenças e as forças implacáveis da natureza.

Depois que deixaram Valley Forge, a guerra duraria por mais cinco anos. Mas para Washington, seus homens e a nação à qual eles procuraram dar à luz, esta foi uma vitória decisiva. Uma vitória não de armas, mas de vontade.

O que faz de Valley Forge ser talvez um dos locais mais importantes associado com a Guerra da Independência dos Estados Unidos, talvez um dos únicos locais que conseguem transmitir em um só lugar o sofrimento, sacrifício e finalmente o triunfo deste país sobre seu colonizador.

Posts Relacionados:

 Valley Forge e o Início do Outono no Hemisfério Norte

 O Dia em que o Brandywine Congelou

  New Castle, Delaware 

 Philadelphia por Rocky

Endereço:

Valley Forge National Historical Park

Pennsylvania 23
Valley Forge, PA 19481
 

Índice com todos os Posts do MauOscar

 

<= Clique na Logo

Siga o MauOscar.com também no:

10 Comments
  1. Lena says

    muito legal, Oscar! Passeio lindo! Uma das coisas que me encanta nesta região é o verde. Sobre os veados, também tenho uma historinha. A esposa do CEO da empresa que me levou ao Longwood gardens, quando me viu encantada com as tulipas disse que não podia plantá-las porque os veados comeriam. E eu respondi: “se eu tivesse um jardim com veados, plantaria tulipas todos os dias, só para vê-los chegar!” 🙂 Deus dá nozes pra quem não tem dentes, né?

    Ah, sobre a estátua do King of Prussia, você sabia que a mesma coisa aconteceu no Brasil? Em São Paulo o Clube Germânia virou Pinheiros, o Hospital Alemão virou Oswaldo Cruz e o Colégio Alemão virou Porto Seguro. Coisas da guerra…

    Beijos!

  2. Mauoscar says

    Engraçado você comentar isso.. Eu adorava esquilos e voce sabe como tem deles por aqui. Até fiz um Post quando cheguei sobre eles….Pois bem!! ainda no inverno comprei um pacote de amendoim para tentar atrai-los para nossa sacada. Eles vieram. Na primavera comprei um Bird Feeder e comecei a reparar que o alpiste e painço acabavam de um dia para o outro… Um dia bem cedinho advinha quem estava lá pendurado comendo o alpiste…
    Ate ai tudo bem mudei a altura do tratador e funcionou por algumas semanas. Agora a danada (é uma fêmea) conseguiu um jeito de roer o tratador. Esta semana ela estragou o segundo Bird Feeder. Agora tanto ela quanto os passarinhos vão ficar sem comida.
    O pior de tudo e estar na sala e ela passar pela sacada e ficar encarando a gente, como se estivesse falando e ai?? Não vai colocar minha comida hoje não?
    Pior de tudo só de raiva esse final de semana ela roeu a tela mosquitera de uma das portas-janelas.. Ninguem merece!!
    Estou mais ou menos como a esposa do CEO!! Muito puto.. rsrs

    Essa história durante a guerra é verdade mesmo.. Nem tinha lembrado, mas o clube que meu pai e madrasta são sócios em Curitiba que até antes da guerra tinha nome alemão foi rebatizado como Clube Duque de Caxias.
    O Colégio que estudava em Joinville até antes da guerra também era chamado de Deutsche Schule, e foi rebatizado para Colégio Bom Jesus.. Minha vó dizia que no tempo da guerra não se podia falar alemão.. Imagine como foi dificil para o pessoal que morava no interior de SC por exemplo..

    Beijos e obrigado pelo Comentário 😀

  3. Raul Guilherme Risch says

    De vez em quando até entro no blog sim para ler os posts viu Oscar! hahaha
    Abraço, saudade boneco

  4. Gustavo - Viajar e Pensar says

    Oi Oscar, muito legal esta região, belas imagens também.
    Esta valorização dos fatos históricos, com eventos, parques e estrutura que os Americanos montam são sem comentário. Como tudo na America levam muito a sério.

    Somente o erro no Paragráfo:
    Diz a história que a tomada da capital Philadelphia em setembro de 1977 pelo exército britânico foi um duro golpe no movimento separatista dos EUA,…”
    SERIA 1777.

    Continue com estes excelentes relatos.
    Abraço e boa semana

    1. Mauoscar says

      Obrigado Gustavo!!

      Foi um erro de digitação que passou desapercebido!! Ja estou indo lá corrigir
      Valeu mesmo

      Abraço

      Oscar

  5. sergio says

    gostaria de saber se o king of purssia mall é um outlet.
    obrigado

    1. Mauoscar says

      Prezado Sérgio

      o King of Prússia é um shopping normal

      As opcoes de outlets que conheco na região de philadelphia são o Premium Outlets, que fica à cerca de 20 Km de King of Prussia (http://www.premiumoutlets.com/outlets/outlet.asp?id=75) ou o Tanger Outlet em Lancaster (http://www.tangeroutlet.com/lancaster)

      Abraço

  6. […]  Independência dos EUA contada em Valley Forge […]

  7. […] o fubá ali moído no tempo da revolução, alimentou às tropas famintas de George Washington em Valley Forge, durante o gélido inverno de […]

Leave A Reply

Your email address will not be published.