Dicas e Relatos de viagens ao redor do mundo

Body Worlds no Franklin Institute em Philadelphia

0

No Penúltimo final de semana do mês de Fevereiro fomos até Philadelphia visitar a exposiçao Body Worlds no Museu de História Natural dentro do Franklin Institute de Philadelphia, está é a segunda vez que esta polemica mostra retorna à Philadelphia, na primeira oportunidade atraindo mais de meio milhão de visitantes nos 6 meses que permaneceu aberta.

Por sorte conseguimos estacionar nosso carro em frente ao museu, que por sinal é muito bonito por fora, no Hall principal de entrada está uma enorme escultura de Benjamin Franklin, um dos líderes da revolução americana e um dos signatários da declaração de independência dos EUA que viveu boa parte de sua vida em Philadelphia. Todo mundo já deve ter visto sua foto na nota de 100 dólares.

Mas para quem não sabe além de estadista, diplomata ele também era inventor e uma de suas maiores invenções foi o Para-Raio, tendo se dedicado principalmente à ciência da eletrecidade e meteorologia.

Mas o principal motivo de nossa visita era conhecer a polêmica exposição itinerante do anatomista alemão Gunther Von Hagens, que expõe corpos humanos, órgãos e partes de corpos verdadeiros que são preparadas usando uma técnica especial para revelar o interior e estruturas anatômicas. Técnica esta que recebe o nome de plastinação e foi inventada no final de 1970 pela Universidade de Heidelberg na Alemanha.

Desde que a mostra começou a circular pelo mundo em 1995, ela já foi vista por mais de 26 milhões de pessoas em mais de 50 museus em países da Europa, América do Norte e Ásia, inclusive quando estávamos nos mudando de Cingapura uma das exposições estava mesmo chegando ao Science Centre Singapore , mas acabamos não conhecendo.

Atualmente existem 6 mostras correndo o mundo, a de Philadelphia que conhecemos, é a Body Worlds 2 & Brain, focada principalmente no Cérebro e Sistema Nervoso humano, e foi aberta ao público pela primeira vez em 2005 em Los Angeles.

Segundo seu criador esta mostra tem por objetivo a formação de leigos, mostrando como é e como funciona o corpo humano, levando a uma melhor percepção de saúde. Bem para dizer a verdade é realmente interessante, mas ao mesmo tempo extremamente macabro. Por um momento é preciso esquecer que tudo aquilo que estamos vendo já foi um corpo com vida como todos nós, e de fato isso é possível pois tudo fica com uma aparência que lembra plástico, mas para ser sincero em apenas um momento isso foi quase impossível. Um corpo de um senhor de uns 60 anos de idades “fatiado”na vertical em pelo menos usam 10 fatias. Algumas delas era possível se reconhecer os traços da face.

Segundo o criador da exposição e a organização deste evento todos os corpos humanos são de pessoas que doaram em vida seus corpos para plastinação através de um programa de doação voluntária para fins científicos.

Mas o que não exime a exposição de inúmeras controvérsias e debates no que se refere a inúmeras questões. Grupos religiosos, incluindo os representantes da Igreja Católica e alguns rabinos judeus que se opõe à exibição dos restos humanos, afirmando que é incoerente com reverência para com o corpo humano.

Em 2003, ao promover uma exposição no Museu Erótica de Hamburgo, Von Hagens anunciou sua intenção de criar um casal plastinado. Em maio do ano passado ele lançou um casal tendo relações sexuais, destinadas a uma exposição de Berlim.

Em 2007, o Bispo de Manchester lançou uma campanha coincidindo com a abertura da Body Worlds naquela cidade, acusando-os expositores de serem “ladrões” de corpos e argumentando que a doação de órgãos para plastinação privaria o Serviço Nacional de Saúde, de órgãos para transplante. Através de um site foi feita uma petição ao governo pedindo a revisão da lei sobre as políticas e práticas de “turismo” que envolvem cadáveres.

Segundo o que a exposição diz todos os corpos Plastinados exibidos em Body Worlds vêm de doadores que deram o seu consentimento através de um programa único de doação voluntária de seus corpos. De tal forma que somente maiores de dezoito anos de idade podem se inscrever para o tal programa.

No entanto na mostra também haviam espécimes infantis e de fetos, mas que segundo os sites que consultei foram obtidos a partir de colecções morfológicas anteriormente realizadas por universidades e instituições médicas.

Em 2004 uma outra polemica envolvendo Von Hagens veio a tona na mídia na Alemanha. Dizia-se na época que corpos de pessoas falecidas que não deram o seu consentimento estavam sendo utilizadas pelo Instituto de Von Hagens, entre eles pacientes falecidos de hospitais do Quirguistão e prisioneiros executados na China. O fato foi que em Janeiro de 2004, a revista alemã “Der Spiegel relatou que Von Hagens havia adquirido cadáveres de presos executados na China.

Von Hagens obteve uma liminar contra a Der Spiegel, dizendo que não sabia a origem dos corpos, e que já havia retornado os sete cadáveres para a China. Mas fala sério além de exportar tudo agora até corpos humanos, isso sem comentar a questão dos Direitos Humanos da China, coisa bem complicada. De toda forma é muito estranho que esta tecnica de plastinaçao destes corpos, ocorram nestes dois países acima citados e na Alemanha.

Mas o mais curioso disto tudo é que mais de 9.000 pessoas já se comprometeram a doar seus corpos para o Instituto de Plastinaçao em Heidelberg, na Alemanha.

Mas as controvérsias não param apenas por ai! Body Wolds é acusada de perpetuar representações conservadoras de género. Os espécimes masculinos em cenas viris, enquanto os femininos mostrados em termos de beleza, passividade ou reprodução, tais como a grávida plastinada com um feto em seu útero.

Já os especialistas em comércio internacional fizeram objeções à maneira como os órgãos e os corpos são importados e exportados de um país para o outro, porque a forma como seus códigos de classificação que a considera como coleções de arte, não exigindo os selos de Controle de Doenças e muito menos os certificados de óbito, estes ambos necessários para cadáveres utilizados para fins médicos.

Na maioria dos países as amostras humanas plastinadas são classificadas nas Alfândegas com o código 97.050.000,48 “itens em coleções anatômicas”. Este código aduaneiro abrange “zoologia, botânica, mineralogia e de anatomia coleções ou itens de tais coleções.” Mas espera um minuto isso é totalmente diferente de uma pedra, um animal empalhado, ou mesmo uma ex sicata de uma Planta.

Bem cada exposição Body Worlds contém cerca de 25 corpos inteiros Plastinados, muitos deles com destaque a certos órgãos ou em posições que reforçam o papel de determinados sistemas. Mais de 200 espécimes de órgãos humanos reais e sistemas de órgãos são exibidos em caixas de vidro, alguns mostrando diversas condições médicas.

Tenho que dizer que achei realmente muito impactante a apresentação de um fígado com cirrose, os pulmões de um fumante e não fumante e um Mineiro de carvao colocados lado a lado.

A parte voltada ao cérebro e sistema nervoso também foi bastante curiosa , principalmente ver como fica o cérebro de uma pessoa que sofre com o Mal de Alzheimer. E uma sensação estranha saber que tudo aquilo que vimos está também dentro de nós. Mas confesso que eu não nasci mesmo para ser médico.

Aproveitamos então para conhecer o restante do Museu, que em si não é realmente algo extremamente surpreendente, no pátio central no meio das escadarias está um enorme pêndulo de Foucalt, é uma experiência concebida para demonstrar a rotação da Terra em relação a um referencial, bem como a existência da força de Coriolis. A primeira vez em que esta experiência foi realizada foi em 1851, quando um pêndulo foi fixado ao teto do Panthéon de Paris. Esta Experiência permite determinar a latitude do local sem a necessidade de observação astronômica exterior.

Outra parte interessante é o Space Command , que entre outras coisas tem varias roupas de astronautas do programa espacial americano, bem como um telescópio e alguns exemplares de meteoritos.

Bem como foi no estado da Pennsylvania que o primeiro hospital foi instalado nos EUA, o museu tem uma enorme esposiçao sobre as ciências médicas especialmente no que se refere a cardiologia.

E lá que desde 1954 existe um enorme coração em que o visitante faz literalmente um tour por dentro de todas as cavidades e válvulas, digamos que bem interessante, mas não para quem não gosta de sangue.

Terminamos assim nossa visita ao Franklin Institute de Philadelphia, ainda demos uma passeada pela cidade antes de voltar para Casa.

A exposiçao permanece em Philadelphia até dia 18 de Abril de 2010.

Índice com todos os Posts do MauOscar

Clique na Logo =>

Siga o MauOscar.com também no:

No Comments
  1. Angie says

    Que linda a cúpula da entrada do museu!!!!
    Me lembro que vi a exposicao do Gunther Von Hagens quando morava em Bruxelas (em 2002, tô ficando velha!). Fui no dia de Natal (25 de dezembro) e nao tinha quase ninguém!!! Foi ótimo para ver tudo em detalhes e com calma! Eu acho genial! Um pouco macabro, concordo com você, mas genial!
    Beijos, Angie

  2. Eliane Borgert-Sbrizza says

    Ola Oscar,
    Por onde vc anda? Ja esta de volta? Desculpa minha curiosidade, mas e que nao vi mais “new posts”.
    Eu vi essa exposicao dos corpos em Boston ha algum tempo, e realmente muito interessante.
    Espero que tenha curtido (ou esteja curtindo) o Brasil.
    Felicidades!!!

    Eliane

    1. Mauoscar em Dela Where??? says

      Ola Eliane, ja voltei do Brasil a quase 2 semanas mas nao Tenho tido tempo para postar new posts…. Estamos com visita do Brasil em casa…
      Mas em breve volto a postar sim.. E muito legal saber que os ” Meus leitores” deram falta de mim. Isso me motiva bastante para voltar a escrever. O mais breve possivel.

Leave A Reply

Your email address will not be published.