126 – Viagem a Kuala Lumpur

Hoje estou escrevendo no avião entre Cingapura e Kuala Lumpur na Malásia, ontem terça-feira fiz duas latas de brigadeiro para que o Mau pudesse levar para os seus colegas de trabalho, já que anualmente acontece a Semana da Diversidade, como Cingapura e uma sociedade multi-étnica, nesta semana cada um deve levar alguma coisa que lembre sua cultura de origem, seja uma apresentação, seja um prato típico, nada mais Brasileiro que o nosso brigadeiro. Em uma oportunidade anterior ele também levou e foi o maior sucesso, depois todos queriam a receita do doce tipicamente brasileiro, mas desta vez como eram poucos fiz apenas 2 receitas, decidimos também fazer como despedida dele vários doces brasileiros daqui umas 2 semanas.

Brigadeiros

Bem recebemos o email da empresa que fez o leasing da nossa mobília informando para gente o valor residual dos nossos moveis, estamos pensando em levar apenas o jogo da sala e talvez a cama, engraçado que o colção esta custando apenas SGD 2.16, uma boa parte da nossa mobília ira ficar com a Paola, tanto que hoje ela e o Shaun foram em casa tirar as medidas para ver o que eles podem ou não aproveitar. Alem disso ganhamos varias coisas do Brasil o Shaun recem chegou do Brasil, tanto que ele e o pai estavam ao lado do Lewis Hamilton  na classe executiva, ele ate falou ele e super baixinho e pior estava com cheiro de CC.. Sem comentários de toda forma não gosto nem um pouco dele.

Estes últimos dias também tem sido dia de lavar nossas roupas de inverno desde que chegamos em Cingapura elas estavam empacotadas dentro das caixas como vieram do Brasil, o que me deixou realmente surpreso foi encontrar dentro de uma dessas caixas a camiseta da selecao alemã de Futebol, que estava justamente desaparecida desde a nossa primeira viagem aqui no Sudeste da Ásia, justamente para Kuala Lumpur, jurava que sei la como havia esquecido ela no hotel.

Preparei nossas malas ainda pela manha, antes de a Paola e o Shaun virem ate em casa, pela hora do almoço o alfaiate veio entregar em casa o terno e as calcas que encomendamos, depois quando eles chegaram viram os moveis e tiraram as medidas aproveitamos para jogar um pouco de Nintendo Wii, os planos eram de almoçarmos juntos, mas o Shaun estava com problemas no trabalho e o almoço acabou não acontecendo, mas a Paola fez um cuzcuz marroquino e me trouxe um pouco estava uma delicia.

Shaun e Paola

O Mau voltou para casa, terminamos de arrumar as coisas que faltavam e pegamos um táxi para ir ao aeroporto, felizmente nosso voo saia apenas as 21:20, por conta das ruas fechadas para a Corrida de F1 que acontece esse final de semana em Cingapura, como ano passado a corrida será num circuito urbano e a noite, então com varias ruas principais bloqueadas ao trafico, da para imaginar o transito, tanto que descemos do Táxi na primeira estacao de Metro.

Só essa brincadeira de ficar no táxi ate a estacao de metro que normalmente custa uns 4SGD custou 10SGD e acabou sendo a melhor decisão que tomamos pois de carro iríamos levar pelo menos 3x o tempo normal para chegar ao aeroporto, agora a gente entende porque muitas pessoas odeiam a corrida de formula 1, primeiro ela e caríssima e em segundo lugar atrapalha a cidade toda.

Fizemos nosso check-inn, passamos pela imigração e fomos comer um lanche no Burger King antes de embarcar, infelizmente não deu tempo de pegar o nosso Refund do meu relógio, mas ainda teremos a chance de pegar ele quando formos para os EUA, por sinal daqui exatos 30 dias.

O Voo esta quase lotado, ao meu lado esta sentada uma indiana com uma mascara e tem jeito de estar gripada, só o que falta pegar gripe nessa viagem e segundo a OMS o vírus da gripe suína já esta em mais de 35% do total dos vírus de gripe circulantes no momento.

Nem consegui terminar de escrever o post já que o avião ate Kuala Lumpur leva 50 minutos e os 15-20 minutos posteriores e anteriores a decolagem e aterrissagem os aparelhos eletronicos precisam ser desligados e o avião já esta se preparando para descer, por sinal continuo a escrever mais depois!!

Chegamos ao Terminal economico do Aeroporto de Kuala Lumpur, tivemos um pouco de dificuldade para achar o onibus da Airasia ate a estacao Central de Kuala Lumpur, o onibus era bom, porque os aviões não tem assentos espaçosos assim, uma coisa bem chata e que o Aeroporto de Kuala Lumpur fica a mais de 60 Km do Centro da Cidade, próximo ao circuito Sepang de Formula 1.

Hari Raya

Da estacao central ate nosso hotel pegamos um táxi, como acabara de passar da meia noite tivemos que pagar um adicional de 50%, o legal que já desde o onibus era possível se ver a Petronas Twin Towers, mas logo depois da meia noite apenas as luzes da aviação ficam acesas.

Bandeira da Malasia nas torres gemeas

Nosso hotel realmente surpreendeu, estamos a cerca de 150 m das torres com nosso quarto com vista para ela inclusive, e embora seja considerado 4 estrelas não deixa nem um pouco a desejar a um de 5 estrelas e com um preço que não ficaríamos em um de 3 no Brasil. Por sinal adorei que o quarto tem conexão gratuita com a Internet. Tomamos um bom banho e fomos dormir, já que estava super tarde.

Na base da Petronas

Torres gemeas de kuala lumpur

No dia seguinte dormimos um pouco mais ate cerca das 09:30 e fomos tomar nosso café da manha, para a nossa surpresa ele não estava incluso, mas tudo bem comida de um modo geral e muito barata aqui na Malásia e pelo preço que pagamos o hotel não podemos reclamar, mas assim mesmo acabamos tomando o café no hotel, pegamos uma mesa com vista para as torres, muito legal a experiência de tomar café da manha com vista a um dos ícones da arquitetura moderna mundial.

Petronas Towers

Como nosso primeiro passeio não podíamos deixar de não ir as torres, mas acabamos chegando tarde de mais e os ingressos já haviam se esgotado, mas ainda sim resolvemos tentar quando falamos que éramos brasileiros o recepcionista falou que daria um jeito de a gente ir visitar a passarela entre as duas torres e ainda falou vou conseguir a visita de vocês la, mas vocês tem que conseguir uns tickets para o Mardi Gras em São Paulo. Hehe

Passagem entre torre 1 e 2 em Kuala Lumpur

Ele falou para a gente esperar um pouco na sala onde o pessoal chega quando descem das torres onde também existe uma exposição contando maiores detalhes sobre o projeto e execução bem como detalhes sobre a construção, super interessante. As Petronas Towers em Kuala Lumpur na Malásia são as torres gêmeas mais altas do mundo e foram os edifícios mais altos edifícios do mundo antes de ser ultrapassado por Taipei 101. e permaneceu com esse recorde entre 1998-2004.

Torres Gemeas

Foi Projetado pelo arquiteto argentino naturalizado americano César Pelli, as Torres Petronas foram concluídas em 1998, após um período de sete anos de construção, foram construídas no local de um clube de hipismo. Devido às dificuldades com o solo, os edifícios foram construídos sobre umas das bases mais profundas do mundo. Com cerca de 120 metros de fundações que levaram cerca de 12 meses para ser finalizado o que exigiu uma quantidade enorme de concreto. Nunca nenhuma outra obra na Malásia havia usado tanto concreto antes.

vista da Petrronas

As torres tem ao todo 88 andares e são construídas em grande parte com concreto armado, com uma fachada de aço e vidro projetado para se parecer com os motivos encontrados na arte islâmica, um reflexo da religião muçulmana da Malásia. Outra influência islâmica no projeto é que a seção transversal das torres é baseado em uma Rub El Hizb da geometria islâmica (embora com setores circulares acrescentados para satisfazer as necessidades de espaço para os escritórios.

Vista de Kuala Lumpur

Devido à falta de aço na Malásia e os altos custos de importação, as torres foram construídos em um projeto mais barato utilizando concreto armado. Concretos de alta resistência é um material familiar aos empreiteiros da Ásia e são até duas vezes mais eficazes que o aço na redução das oscilacoes, no entanto, faz o edifício pesar o dobro comparado a um edifício de aço o que exige um projeto de fundação compatível com a carga que era sustentar.

KLCC

Os prédios fornecem juntos 560.000 metros quadrados de espaço de escritório, abaixo das torres gêmeas esta o Suria KLCC, um shopping centre, e a Dewan Filarmonik Petronas, a casa da Orquestra filarmónica da Malásia, que tem uma das melhores acústicas da Ásia e foi inspirada nas casas de concertos da Europa do século XIX.

No alto das torres esta um pináculo, que também serve de antenas de comunicação e para-raio, que pelo que mostra os vídeos juntamente com a Passarela que liga ambas as torres foram um dos maiores desafios do projeto.

Torre das Petronas

Uma das coisas bem interessantes ali e a maquina que mede sua altura e calcula quantas vezes menor você e em relação a 4 arranha céus do mundo, são eles a própria Petronas Towers, o Empire State de Nova Iorque, o Jin Mao Tower de Shangai e a Sears Tower de Chicago.

Torre de TV de Kuala Lumpur

Como resultado eu fiquei sendo 151x menor que a Petronas Towers e 146 x menor que o empire state a titulo de comparação 449 vezes menos que a Torre Burj de Dubai, por sinal eles fizeram esse prédio para ficar com a posição de edifício mais alto do mundo por um bom tempo já que a diferença entre o a Taipei 101 e o Shangai International Financial Centre , segundo e terceiro lugar respectivamente e de apenas 17 metros já entre o segundo e o primeiro e de 309 metros comparado com a petronas essa diferença e de 326 metros isso e menos que se colocássemos a Torre de TV de Kuala Lumpur sobre a petronas Towers e ainda faltariam 16 metros.

Torre TV

Outra atracão ali e um gerador de Van der graaf que simula as torres sendo atingidas por raios durante uma tempestade e mostrando como essa energia flui do ápice da torre ate o subsolo.

Infelizmente na hora da visita a passarela que liga ambas as torres não podemos ir juntos, eu acabei indo primeiro, depois da enrolacao do vídeo institucional sobre a Petronas subimos de elevador ao 41º andar onde se encontra a passarela que liga ambas as torres sendo ela de dois andares o andar inferior e utilizado para visitas turísticas e o andar superior para os funcionários da Petronas e ambas podendo ser utilizadas em caso de emergência em uma das torres. Petronas

Esta passarela entre as duas torres localizada entre o 41º  e 42º  andar, é a mais alta ponte de dois andares do mundo. Interessantemente elas não estão diretamente aparafusados à estrutura principal, mas em vez disso, foram projetadas para deslizar para dentro e fora das torres para evitar a sua quebra durante ventos fortes.  A passarela está a 170 metros acima do solo e tem 58 m de comprimento, pesando 750 toneladas.

Passarela da Petronas

A passarela está aberto a todos os visitantes, mas o acesso é limitado a 1700 pessoas por dia, porem no nosso dia pelo visto foram 1702. Os visitantes tem acesso apenas ao 41 andar já o 42 e destinado apenas para funcionários da Petronas, a Companhia Malaia de Petróleo.

Entrada da Petronas em KL

Hall da Petronas

A passarela também atua como um dispositivo de segurança, de modo que em caso de incêndio ou outra emergência em uma torre, as pessoas podem evacuar uma torre cruzando a passarela para a outra torre.  A evacuação total desencadeada por um trote de bomba em 12 de Setembro , 2001  (um dia após o 11 de Setembro ataques destruíram as Torres Gêmeas do World Trade Center em Nova Iorque) mostraram que a ponte não seria útil se as duas torres precisem ser esvaziadas, simultâneamente, como a capacidade das escadarias foi insuficiente para tal evento. Mas um plano de contingencia foi desenhando para evitar problemas em uma situação de emergência como essa.

Olhando para baixo 2

Teto do Suria KLCC

Bem a visita ao 41 andar esta longe de ser tão emocionante quanto seria ao topo das torres no 88º andar, mas por um lado como a visita e totalmente gratuita não podemos reclamar, para chegar la o elevador leva cerca de menos de um minuto e viaja a uma velocidade de cerca de 5m/s.

Elevador Petronas

Como existe um enorme fluxo de pessoas que fazem fila de manha para pegar os tickets de visita com hora marcada só se pode ficar ali contemplando a vista da cidade por menos de 10 minutos, mas eles são mais que o suficiente. Mas e um pouco frustrante ficar mais de uma hora na fila e poder ficar tempo extremamente limitado na atracão propriamente dita.

Oscar nas Torres Gemeas de Kuala Lumpur

No inicio deste mesma manhã do dia 1 de Setembro de 2009, alpinista urbano francês Alain Robert, conhecido como homem aranha, escalou até o topo de uma das torres usando apenas as mãos e os pés descalços e sem dispositivos de segurança,ele chegou la em pouco menos de 2 horas e depois de duas tentativas anteriores frustradas que tinham terminado em prisão ele desta vez chegou lá. A primeira tentativa foi em 20 de Março de 1997, a polícia prendeu-o no 60 º andar, 28 andares de distância do cume, ele fez uma segunda tentativa, em 20 de Março de 2007, exatamente 10 anos depois, e foi interrompido mais uma vez no mesmo piso apesar de ser na outra torre, desta vez além de preso ele poderá ser condenado e nunca mais poderá entrar na Malásia.

Olhando npara baixo na Torre petronas

Bem como não podemos subir juntos acabamos saindo da visita a torre depois do  meio dia, decidimos almoçar no Suria KLCC o shopping que fica no subsolo das torres, e por sinal ele e enorme tem uns 6 andares,  acabamos descobrindo que tem um Chilis ali, um Mexicano dos EUA que abriu recentemente em Cingapura e que e uma delicia.

Chilis

Pegamos o metro, por sinal essas horas que sentimos como e bom morar em Cingapura a começar pela sessão da compra do ticket do trem, das 6 maquinas disponíveis 3 estavam quebradas, uma não aceitava cedulas, a fila era enorme, na que dizia que aceitava cedulas de 1, 2 e 5 Ringgits quando fomos pagar não aceitava a de 5 e só tínhamos ela ou notas maiores,  jeito foi entrar na fila do guiché, na hora de pagar os 3,60 Ringgits fiz questão de dar a maior nota que tínhamos. O Metro alem de pequeno tem um cheiro estranho e a linha faz um monte de curvas, ou a licitação foi feita por metro de linha construída ou foi superficial desviando da fundação de alguns prédios, nessas horas sentimos na pele como o metro de Cingapura e um dos melhores se não for o melhor metro do mundo.

Trem na Malasia

Paramos na estacao Pasar Seni a umas 4 estacoes da Petronas Towers, próximo a National Mosque, para onde seguimos caminhando o calor e como em Cingapura, o local não era muito bonito tivemos que cruzar a linha do trem que vai para Cingapura na famosa rota conhecida como a Rota do Oriente Express, passamos pelo prédio principal da KTM,a companhia Malaio de Trens em estilo árabe, cheio de arabescos e uns pequenos minaretes.

KTM

Mesquita Nacional em Kuala Lumpur

Chegamos a National Mosque, infelizmente fechada para turistas não Muçulmanos, isso da uma raiva, acho que as igrejas na Europa também deveria ser fechadas para muçulmanos e chineses, enfim todos não cristãos que visitam aos milhares todo ano e nem ingresso tem que pagar, demos uma volta ao redor onde tiramos algumas fotos.

Mau na National Mosque

Mesquita Nacional

Essa mesquita é uma das mais importantes da Malásia e tem uma capacidade de 15.000 pessoas e está situada em uma área de 53.000 m2 de belos jardins. A estrutura original foi concebido por uma equipe de três pessoas do Ministério das Obras Públicas – arquiteto britânico Howard Ashley, e os malaios Hisham Albakri e Kassim Baharuddin. Originalmente construído em 1965, é uma abordagem ousada e moderna em concreto armado, símbolo das aspirações de uma então recém-independente Malásia.

Oscar e mensagem em Arabe

Kuala Lumpur na Mesquita Nacional

Vimos que estávamos próximos ao museu de arte islâmica de Kuala Lumpur para nossa segunda decepção estava fechado também, como precisávamos sacar dinheiro no Banco e sabíamos que um dos prédios principais do HSBC na Malásia estava perto dali e perto da Merdeka Square fomos caminhando naquela direcao.

Museu de Arte Islamica

Azulejos

Nesta Praça foi onde Malásia e Cingapura se tornaram independentes do império britânico e onde também se localiza o Sultan Abdul Samad prédio em estilo Mouro.

Praca da Independencia da Malasia

Sultan Abdul Samad

Foi desenhado por Norman AC e construído em 1894-1897 para ser a sede de vários departamentos governamentais importantes durante a administração britânica. AC Norman passou algum tempo em África e viu mesquitas muçulmanas na Índia que o levaram a utilizar a arquitetura moura na concepção do edifício.

Arquitetura Moura

Merdeka Square

Em 1945, quando a Segunda Guerra Mundial terminou, Grã-Bretanha retomou o controle da colonia que havia sido perdida para os Japoneses, mas o movimento de independência da Malásia tinha amadurecido e se organizou em uma aliança com Tunku Abdul Rahman que se tornou o primeiro primeiro-ministro da Malásia. Quando a bandeira britânica foi finalmente recolhida na Merdeka Square em 1957.

Bandeira Malaia na Merdeka Square

Na frente do desta construção está o Dataran Merdeka. Foi neste local que a bandeira da Malásia foi hasteada pela primeira vez à meia-noite em 31 de Agosto de 1957. A Merdeka Square simbolizava a soberania britânica, sendo um campo de críquete para os administradores coloniais e sede do Royal Selangor Club, onde somente os Brancos de Melaya podiam entrar.

Royal Selangor Club

Em 1961, Abdul Rahman lançou a ideia da criação da grande “Malásia”, que consistiria em Cingapura, Sabah, Sarawak e Brunei, que ainda eram colônias britânicas. O raciocínio por trás disso era que assim o governo federal pudesse controlar e combater atividades comunistas, especialmente em Cingapura. Temia-se também que, se Cingapura alcançasse a independência por si própria, Cingapura se tornaria uma base para chauvinistas chineses que poderiam ameaçar a soberania da Malásia. Para equilibrar a composição étnica da nova nação, os outros estados, cuja maioria era malaio ou indígena que anularia a maioria chinesa de Cingapura, fez com que ela também fosse incluída.

Merdeka

A titulo de Curiosidade Merdeka em Bahasa Malayu significa independência, tudo a ver com o local, bem 4 anos mais tarde Cingapura acabou se desligando da Malásia e se transformando em uma Cidade estado.

Merdeka Square

Depois de visitar o local fomos ao Premier Centre do HSBC, na sede do Banco na Malásia onde podemos acessar nossa conta Corrente em Ambiente Seguro e também dar uma refrescada do calor que estava, e sacar dinheiro da conta com a cotação oficial da moeda estrangeira.

HSBC Malaysia

Leao HSBC

Na Entrada assim como em vários países tinha os leões, símbolo do HSBC e que esta estampado nas notas do Dólar de Hong Kong, legal que ao lado desse prédio esta o HSBC Amanah o Banco Islâmico do Grupo HSBC, detalhe todo em dourado e  que segue os princípios do Islamismo, Malásia e Indonésia são hoje as maiores nacoes islâmicas fora do oriente médio.

HSBC Amanah

Banco HSBC Amanah

Depois disso caminhamos em direcao ao Central Market, pelo caminho passamos pelas obras da futura Sede do HSBC aqui na Malásia, bem o Central Market já surpreendeu por ter ar-condicionado, o que já faz toda diferença por aqui.

Mercado Central de Kuala Lumpur

Localizado na  Jalan Hang Kasturi, a poucos minutos de Petaling Street o Mercado Central, que foi construída em 1888, era originalmente um mercado de secos e molhados. Desde então, foi classificada como Património da Humanidade pela Malásia Heritage Society e agora é um marco para a cultura e do património da Malásia.

Azulejos em estilo arabe

Como a Malásia, assim como Cingapura, é conhecida por sua cultura multi-racial, onde pessoas de diferentes raças viver em paz e harmonia. Mercado Central foi concebido para mostrar as múltiplas etnias de forma zoneada e com as barracas dispostas na base das características de cada raça. Ou seja, lembra um pouco Cingapura com o Plano de Raffles, mas no Central Market ao Invés do Arab Street temos a Melayu Lorong, ao invés de Chinatown temos o Chinese Dire e Lorong Índia, representando a Little India. O objetivo disso é permitir que os visitantes tenham uma percepção da diferença cultural das diferentes etnias, na Malásia.

Camiseta tirando com Cingapura

La haviam varias lojas de artesanato, tudo bem que grande parte deles não serem originais daqui da Malásia, muita coisa de Bali na Indonésia e Batik de Java,  mas ainda sim com um charme especial, acabamos comprando uma lembrancinha de madeira com os 20 edifícios mais altos da atualidade cortados a laser em madeira, no mesmo estilo de maquina que vi na Ligna em Hannover em 2005. Gostamos muito tambem de uma tela em Batik, mas acabamos não comprando pois estava meio caro, alem disso esse estilo de coisa não combina facilmente com qualquer coisa, deixamos o mercado, pegamos o metro e voltamos para o Hotel.

Arranha Ceus do Mundo

A noite fomos jantar comida libanesa no Suria KLCC, um restaurante bem gostosinho, embora o Tabule tenha sido um pouco decepcionante, mas uma das melhores coisa daqui da Malásia e o preço da alimentação, o preço e semelhante ao de Cingapura só que aqui se paga em Ringgit e em Cingapura em Dólar de Cingapura a cotação atual  e 1 SGD – 2,45 MYR, o que faz toda diferença.

Jantando comida libanesa

Estavamos podre de cansaço, andamos um monte o dia todo, passamos num supermercado e no Dunkin Donuts para pegar algumas coisas para o café da manha, paramos numa sorveteria da nova zelandia compramos um sorvete e fomos tomar ele em frente a Petronas Towers, onde tiramos algumas fotos e depois voltamos para o Hotel.

Oscar e Mau na Petronas

Uma pena que acabei esquecendo o tripé para a Maquina em Cingapura, mas ela ate que conseguiu tirar algumas fotos boas. Comparado com nossa maquina fotografica antiga que levamos em nossa primeira visita a Kuala Lumpur em Maio do Ano passado.

Oscar e Mau em KL

Do hotel era legal a vista que tinhamos para as torres principalmente a noite, a iluminacao dela até a meia noite e muito legal de varios lugares na cidade voce consegue enxergar ela, um enorme faxo de luz que sobe em direcao ao ceu, a potencia da iluminacao ali deve ser algo realmente forte.

Torres Gemeas de Kuala Lumpur a noite

Índice com todos os Posts do MauOscar

Clique na Logo =>

Siga o MauOscar.com também no:

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

11 Responses to “126 – Viagem a Kuala Lumpur”

  1. Jenny
    27/09/2009 at 11:24 pm #

    Nossa!!! Quanta informação interessante e que bonita são as torres iluminadas. Achei bacana que as cidades Asiatícas multi étnicas delimita bem a cultura.,setorizando-as , assim as pessoas assimilam com maior facilidade as diferenças . Beijos para vocês dois.Jenny

  2. Jenny
    27/09/2009 at 11:31 pm #

    Adorei os filminhos e que bacana é as medidas das torres em proporção a pessoa.. ehehehehe..Sabe o que esta bacana acompanhar para aprender…

  3. Juliana
    28/09/2009 at 12:09 am #

    Adorei o posting! Essas torres são um espetáculo! Quem sabe, de repente daqui a pouco menos de dois anos estaremos na Ásia! Ah, e mais uma vez: Oscar também é cultura! Rsrsrs, valeu pelas informações!

  4. 16/02/2011 at 12:31 pm #

    Oscar,
    Como eu não fiz o meu dever de casa direito antes de viajar ainda estou perdida e não sei como o transporte público de KL funciona…Tem monorail,Light rail transit train, e por aí vai. Porém, o que estou precisando saber é se tem algum transporte público partindo de KL Sentral para o Impiana KLCC (acho vocês ficaram lá)? Ou tenho que pegar táxi? Vou de Air Asia e já comprei o bilhete do ônibus do terminal low fare para a Sentral.
    Valeu! Bjs

    • MauOscar
      16/02/2011 at 3:04 pm #

      Oi Lu

      Então, eu acho que dependedendo da hora que você chegar vale a pena pegar um Taxi da KL Sentral até o seu Hotel.. Taxi na Asia é barato (mas certifique-se de o taximetro estar ligado ou combine o preço antes da corrida) Como na chegada você ainda esta se adaptando ao novo lugar em outra palavras a ficha ainda não vai ter caido.. Minha sugestão é: DFeixe para usar o Metro na Volta.. Mas se for hora do rush ou se você já estiver no mood adventure vá de metro mesmo.. Não tem erro!!
      De qualquer forma, se você optar pelo transporte público. Você chegando na KL Sentral para chegar ao Impiana que fica atrás da Petronas Twin Towers e do centro de Convenções de KL, pegue a linha (Kelana Jaya) até a estação KLCC..

      Lá na KL Sentral, basta seguir o fluxo (quase todo mundo vai pegar o metro), se não me engano você vai subir por uma escadinha rolante ao lado do lugar do desembarque do onibus que liga o Budget Terminal até a Estação (Não estranhe do aeroporto até a cidade são pelo menos uns 45 min de viagem). Compre seu Ticket e embarque no LRT sentido Gombak siga até a estação KLCC.
      Voce saindo da estação KLCC, estando de frente para a Petronas Twin Towers basta seguir pela sua direita e entrar na primeira rua à esquerda e seguir até a Jalan Pinang (Rua do Hotel), entrar novamente à esquerda (no sentido do tráfego se não falha a memoria) e o hotel fica uns 100 metros a frente do outro lado da rua.

      Ps: Na hora do check-inn peça para eles conseguirem um quarto com vista para a Petronas a noite ela fica linda!!!

      Fiz um mapinha no Googlemaps para voce se localizar http://maps.google.com/maps/ms?oe=UTF-8&ie=UTF8&hq=&hnear=Kuala+Lumpur,+Federal+Territory+of+Kuala+Lumpur,+Malaysia&gl=us&hl=en&msa=0&ll=3.157206,101.710707&spn=0.00782,0.016469&z=17&msid=210776442148541280702.00049c6b90873ab066ed3
      Itinerário do LRT http://www.myrapid.com.my/rail/routes Procure a Kelana Jaya Line

  5. 16/02/2011 at 8:15 pm #

    Oscar,
    Demais! Obrigada!
    Eu chegarei na sexta. Estarei saindo daqui de Siem Reap e a chegada da prevista para às 10h35. Dependendo do meu humor, tentarei o metrô.
    Quanto aos táxis, aprendi isso que você falou em Bangkok! Nas áreas mais turísticas eles não querem ligar o taxímetro e cobram 3x mais caro para te levar.
    Ah! Eu não fiz todo o dever de casa, mas fiz parte. Me lembro de ter lido aqui que o aeroporto fica longe pacas! E, na volta, vou procurar o café onde vocês tomaram chocolate para tentar conseguir internet grátis!
    Pode deixar que volto para te contar o que aconteceu!
    Valeu! Bjs

    • MauOscar
      16/02/2011 at 11:53 pm #

      Legal!!!

      Aproveite bastante 😀

      Precisando é só dar um alô!!

      Bjs

  6. Ermi bueno
    28/03/2012 at 9:50 pm #

    Muita informação legal adorei.. Gostaria de saber se tem algum contato de guia em kl brasileiro ?

    • MauOscar
      03/04/2012 at 8:52 am #

      Ermi

      Não tenho contato de nenhum guia Brasileiro em KL não.. Mas a cidade é tranquila, em momento algum senti a necessidade de ter um guia.. Basta ter um guia de viagem, ler sobre o destino que voce irá se achar facil..

  7. 25/08/2015 at 10:07 pm #

    Apesar do artigo ser antigo eu gostei muito! Essas torres são um verdadeiro espetáculo! Muito obrigado pelas informações valiosas!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Planejamento Camboja Tailândia e Kuala Lumpur | A Aventura Começa - 10/01/2014

    […] MauOscar […]

Leave a Reply