Dicas e Relatos de viagens ao redor do mundo

Amsterdam

0

Chegamos em Amsterdam depois do meio dia, embora no avião só foi servido café da manha, assim que chegamos ao aeroporto procuramos um locker, onde pudéssemos deixar nossas bagagens de mão. Apanhamos um pouco para entender como funcionava, mas no final deu tudo certo.

Saímos do setor de Embarque e Desembarque e passamos pela Imigração, mais um pais diferente para o meu passaporte, para o Mau esta estava sendo a segunda vez que estava visitando Amsterdam, a primeira foi quando ele estave a trabalho em Dubai nos Emirados Árabes Unidos.

Compramos nossos tickets de trem para ir para a cidade e voltar ao aeroporto, estava frio e o tempo bem nublado, mas mesmo assim estávamos bem animados para passear pela cidade.

Chegamos cerca de 25 minutos na estacao Centraal de Amsterdam, que foi construída entre 1881 e 1889 pelo arquiteto Pierre J.H. Cuypers e pelo engenheiro mecânico Adolf Leonard van Gendt. Cuypers também construiu o Rijksmuseum. Nessa estacao desembarcamos e fomos dar uma volta pela cidade.

Assim que saímos já podemos ver algumas das marcas registradas da cidade a enorme quantidade de bicicletas e a cidade é considerada o centro mundial delas. Quase todas as ruas principais têm vias para ciclistas, e pode-se deixar a bicicleta em qualquer lugar. Em Amsterdam existem ao redor de 700.000 ciclistas (750.000 habitantes). E um dado curioso a cada ano, 80.000 bicicletas são roubadas.

Outra coisa que chama bastante atenção em Amsterdam são os Canais, tanto que a cidade e conhecida como a Veneza do norte, No início do século XVII, com a crescente imigração na cidade, Amsterdam colocou em prática um plano para a construção de canais de meio-círculo e concêntricos que se encontravam na baía do rio IJ. Atualmente Amsterdam tem mais de 100 kilometros de canais, cerca de 90 ilhas e cerca de 1500 pontes.

Acabamos comprando uma batata frita, muito saborosa diga-se de passagem e fomos caminhando ate a praça onde fica o Madame Taussaud, o museu de cera de Amsterdam, la vimos algumas charretes, que deve ser legal pegar para dar uma volta, mas como não tínhamos muito tempo seguimos em frente, fomos a um supermercado ali perto, uma das coisas mais legais de ir em supermercado em outros países e ver os produtos diferentes que encontramos. Uma das coisas que mais chamou minha atenção foi a seção de queijos, com centenas de queijos gouda. Acabamos comprando alguns iogurtes e outras coisas para comer.

Seguimos então em direção ao Bairro da Luz vermelha, pelo caminho podemos observar a arquitetura que e muito típica de la. Amsterdam tem uma historia muito rica, presente na beleza e a particularidade da arquitetura e das cores. Aliás, os prédios têm uma curiosidade muito interessante. Além de todos serem um pouco inclinados para frente, eles possuem uma espécie de gancho na sua parte superior. A explicação é que, como são muito estreitos, os ganchos são usados (até hoje) para fazer a mudança dos móveis.

Contrastando com toda essa aura histórica e artística de Amsterdam, está o ar liberal da cidade. Para quem não sabe, na Holanda o uso de drogas leves, a euthanasia e o casamento entre homossexuais são legais. A cidade é repleta de coffeeshops, os bares onde é vendida maconha e o chá de cogumelos, os magic mushrooms, que têm efeito alucinógeno. Por incrível que pareça, os holandeses não são os principais consumidores e reclamam da fama de maconheiros que lhes é atribuída. Cerca de 10% da população fuma maconha. Os principais consumidores são os estrangeiros que visitam ou moram na cidade.

Em Amsterdam existe ate o museu e a universidade da maconha, mas toda essa liberalidade deixa a cidade com um ar de “cidade perdida”. 

Além do cheiro da erva, que dá para sentir da rua e que é super normal, a zona da “Luz vermelha” é outra atração que só existe em Amsterdam. É um bairro de prostituição que virou ponto turístico. Como tudo na cidade é permitido, a zona é repleta de sexshops, que não esitam em expor seus produtos na vitrine. Nos prédios, cada janela vira uma vitrine de mulheres. Elas fazem poses seminuas com trajes, digamos, sugestivos, convidando os homens a entrarem no seu quarto. Mas não pensem que só existem homens no local, inclusive famílias vão conhecer a famosa zona.

Mas uma das coisas que chamam atenção que existe qualquer tipo de mulher na vitrine, desde loira ruiva, morena, asiática, mas o que chamou mais atenção mesmo foi ver uma com uns 150 kg pelo menos, coitada acho que não conseguiu pegar ninguém, pois todas as vezes que passamos la ela continuava la.

Engraçado também são as lojas voltadas para o publico gay, uma delas chamada CockRing,uma outra especializada em roupas de couro estilo Village People, entramos em uma dessas lojas só para ver como era, tinha gay de todas as idades, desde menos de 18 ate com 80 anos.

Decidimos então fazer um passeio de barco pelos canais de Amsterdam, que apesar de não ser tão barato, valeu muito a pena, apesar da minha cabeçada no teto do barco que eu quase vi passarinhos voando ao redor da minha cabeça, passamos por diversos lugares interessantes, no caminho pegamos ate chuva, depois Sol, e como Amsterdam e uma cidade bem Gay, ate o arco-íris apareceu.

Passamos pela replica do barco do capitão Nemo, vimos ainda as diversas casas flutuantes na beira dos canais, muitas pontes, a menor casa de Amsterdam, que não sei como alguém consegue viver em um lugar tão apertado como aquele, o guia também comentou como e frequente o caso de carros ao estacionarem acabarem caindo dentro dos canais.

Depois do passeio, logo estava começando a escurecer, resolvemos voltar ao Red Light, para ver como aquilo ficava a noite, no caminho ainda pegamos um waffeln com morango e chocolate que estava uma delicia, infelizmente o mau deixou cair uma boa parte dos morangos na rua, mas tudo bem, ainda paramos depois em outro local onde comemos um sanduiche, ate que finalmente chegamos ao Red Light, que estava obviamente muito mais movimentado que durante o dia, e realmente o nome do local faz jus ao nome, afinal, tudo e decorado com muita luz de néon vermelha.

Estava frio e não tínhamos mais muito o que ver então decidimos voltar para o aeroporto, no caminho ainda paramos em uma loja de souvenirs onde compramos dois tamancos em miniatura de porcelana, mas legal mesmo era ver os tamancos de madeira em tamanho real, em todas as numeracoes. Na entrada de uma das lojas tinha um tamanco de madeira em tamanho gigante no qual eu sentei dentro e tirei uma foto bem legal.

É incrível como se acaba perdendo um pouco do senso do que é certo e errado. Até nas bancas de revistas e souvenirs existem cartões postais “apimentados”, para não dizer outra coisa. Assim é Amsterdam, uma cidade única, com contrastes muito fortes, capaz de realmente enlouquecer a cabeça de qualquer um. Por isso mesmo ela é tão especial e fantástica.

Nos dirigimos para a Estação de Trem Centraal de Amsterdam e pegamos o nosso trem com destino ao aeroporto de Schiphol, e cerca de 25 minutos depois chegamos la.  Não precisamos fazer o Checkinn pois já estávamos com os nossos bilhetes emitidos no Brasil, passamos então pelo controle de passaporte para deixar o pais.

Fomos então pegar nossas bagagens de mão que havíamos colocado no locker,e ficamos “matando” tempo ate chegar a hora do nosso embarque para Singapura, as 21:10, nossa aeronave não era tão grande e moderna como no voo do Brasil ate Holanda, essa vez era um Boeing 777-200.

O Voo estava lotado, algum tempo depois foi servido o Jantar, eu e o Mau gostamos do efeito do Dramim e cada um tomou um e não demorou muito tempo nos dois caímos no sono.

Depois de 13 horas e meia de voo, chegamos em Singapura as 16:40, cansados da viagem, mas muito felizes de termos ido para o Brasil e ter visitado Amsterdam na volta.

Como somos Residentes de Singapura nem precisamos enfrentar fila para entrar no pais, mas desta vez o Aeroporto de Singapura “decepcionou” fazendo esperar mais de 20 minutos pela bagagem, afinal de contas eu tenho uma explicação, nosso voo, era o voo de Amsterdam, por sinal toda a tripulação da KLM foi submetida ao controle de bagagem, nos graças a Deus não tivemos que passar por essa chatice, ainda antes de sair no desembarque compramos uma Vodka Absolut.

Pegamos um táxi e chegamos em casa, desfizemos as malas comemos alguma coisa e fomos dormir afinal no dia seguinte cedo o Mau iria trabalhar, e mais começando em uma nova área com uma equipe diferente, tadinho sofreu um pouco com o Jet Lag nos primeiros dias.

A viagem ao Brasil, apesar dos percalços, não ter visto o meu Pai, minha madrasta e o Phillip, foi muito legal, comemos muito bem, ate engordei uns 3 quilos, revimos nossos amigos e parentes e ainda tivemos a chance de conhecer Amsterdam na volta. Vale a pena conhecer a vida em Amsterdam, apesar do choque cultural que ela provoca!

 

Índice com todos os Posts do MauOscar

 

Clique na Logo =>

 

Siga o MauOscar.com também no:

 

 

 

No Comments
  1. Guia em Dubai says

    Oi Pessoal
    Descobri por acaso o site de vocês hoje, o pouco que eu ví gostei..especilamente este post sobre um Pit Stop em Amesterdam..vocês fizeream um bom proveito da cidade..enquanto eu um tempo atrás tive a mesma oportunidade mas infelizmente passei o tempo todo dormindo no hotel..aliás nunca dormí tanto como dormí naquela passagem por Amersterdam…
    Então vejo que vocês fizeram o que eu tinha q ter feito !!!! matei a vontade agora como este post..puxa!!!
    Bom ví que vocês andaram por Dubai..então cadê as info sobre a parada por aqui!!!???
    Sou guia em dubai…e sempre tenho curiosidade em saber o que os viajantes falam daqui..
    Já bookmarquei o blog..e prometo fazer outras visitas aprende sobre o mundo with U.
    Fui !!
    Tchau
    Soraya

    1. MauOscar says

      Soraya

      Então nesta viagem à Dubai em 2007 apenas o Mau foi.. Eu tenho as fotos aqui e tudo, mas como essa viagem foi feita antes de nossa mudança para a Ásia ela não entrou aqui no Blog principalmente por falta de tempo..
      Quando comecei a escrever este Blog tentei começar a história a partir do dia 01.11.2006, mas muita coisa entre 2006 e meados de 2008 ficaram sem ser mencionadas aqui no Blog ou foram comentadas muito superficialmente.. Na verdade meus Posts antigos são tão ruinzinhos, comparados com os mais recentes.. Acho que escrever este Blog me ajudou a desenvolver muitas coisas.. Gostaria sim de ter tempo e escrever sobre as viagens passadas, e refazer alguns Posts antigos, mas não dou conta nem mesmo das viagens e temas da atualidade..
      Enfim.. Um dia certamente voltermos aos emirados e Posts sobre Dubai certamente aparecerão por aqui..

      Obrigado pela visita e espero ve-lâ aqui outras vezes.. Veja muito bem vinda aqui
      Bjs

  2. […] Tanto que hoje é impossível não associar a Holanda à esta flor. Tanto que quando estivemos por lá no caminho entre Brasil e Cingapura é possivel se comprar elas dentro do […]

Leave A Reply

Your email address will not be published.